Drömma

aisling . dream . rêve . sogno . sonho . sueño . traum . śnić
Drömma Dreaming Logger — Coleção de Sonhos — Sonhário
natação e cabelo listrado / zibag

eu fazia natação e ia participar de uma competição de velocidade. estávamos vendo se o trajeto seria dar 3 voltas na piscina ou uma direto. eu achava a piscina muito pequena e estranhava ser direto. era crawl, mas também me atirava nadando costas e peito. tinha muita desenvoltura na água. passaram um produto na agua pra nao desbotar os biquines e maios, só q meu cabelo ficou listrado nas cores do biquini, roxo, rosa, verde, e muito longo. cada listra grossa de uma cor.
Einstein primo do Tesla / zibag

sonhei que o Einstein era primo do Tesla, mas ninguém sabia. As vezes o tesla ligava pro Einstein perguntando se ele precisava de alguma ajuda, ou financeira ou de ideias, e ai o Tesla mandava ajuda. O Eistein era tipo um governador do momento.
Eram construções grandes, pés direitos enormes, construções antigas, estilo esclético mas formatos mais quadrados, tipo o Palácio do catete, mas maiores e mais rebuscadas. Parecia algo russo.
Eu fui visitar uma casa que era habitada por algumas pessoas, umas 7 pessoas que dividiam a casa. Nem elas conheciam a casa por completo. Entre elas morava a Carol Conka, que me mostrou uma traquitana que ela usava pra pintar paredes de grafiti. Eram correias largas que envolviam na área da virilha, anexada a outra roldana onde se apoiava os pés. Assim ela deslizava pra fazer as pinturas.
viagem física e mental - RG x Pel / zibag

Sonhei que estava em Pelotas e tinha que comprar passagem de ônibus para Rio Grande. Estava atrasada para chegar na rodoviária. Era tarde, mais de 23h e cruzei a cidade a pé. Atravessei uma praça correndo, passei por algumas figuras meio esquisitas, inclusive a Fernanda L me chamou, ela estava só de calcinha, como se fosse uma prostituta. Eu falei um pouco com ela mas segui meu rumo e entrei num túnel, como um tobogã que era um atalho de uma parte muito alta da cidade, para uma parte mais baixa. Esse tobogã subterrâneo era todo fracionado em rampas muito ingrimes que mudavam de direção e eu fui escorregando e passando por poucas pessoas. Até que eu cheguei num guichê de venda de passagens que era também venda de drogas. A interface do computador que mostrava os lugares dos ônibus também tinha desenhinhos de maconha e outras drogas pra pessoa comprar o bilhete de viagem física e de viagem mental. Fiquei impressionada porquê era muito descarado, como se fosse uma coisa normal, legalizada, como em Amsterdam. Tinha uma guitarra de acrílico no chão para sinalizar esse lugar de vendas. Fiquei de cara como peguei tantos ônibus e nunca soube da existência desse lugar.
olhinhos / zibag

Eu queria atravessar o Brasil com um barco que era uma arca antiga, de madeira pesada. Convidei mais 3 ou 4 amigas para fazer comigo. Nos trechos de terra a ideia era carregar a arca em fila, e íamos fazendo um rodízio de quem ficava na frente. Estava fazendo o planejamento disso e avaliando se precisaria chamar mais gente pq a arca era muito pesada.
Sonhei com “cartas” espalhadas na mesa e cada uma era feita de cartolina rosa claro circulares, cortadas a mão, com um olhinho desenhado. Para a gente escolher com que olhos vemos as coisas.
Encontrei a Francine que estava com uma outra amiga dela. Nos abraçamos e contei que estava fazendo um equipamento que era um beliche cheio de possibilidades para fazer acrobacias, e que poderia se transformar numa espécie de festa para alugar. Ela ficou feliz por mim que estava fazendo algo tão diferente e divertido como trabalho. Era algo como um trailler. Me dei conta que só sonhei com mulheres hoje.