Drömma

aisling . dream . rêve . sogno . sonho . sueño . traum . śnić
Drömma Dreaming Logger — Coleção de Sonhos — Sonhário
adsf / adsf

adsf
lugar nenhum / li

era uma reportagem de tv, mostrava uma alternativa para locais de trabalho. O local que se via era um condomínio popular para salas comerciais. Era um local com pouco espaço, pois todos os tipos de serviço ali se instalavam, encanadores, professores, camelôs, motoristas; ocupando qualquer espaço mínimo. A repórter mostrava a sala de um despachante, um jovem advogado sem sorte na vida profissional. Era uma sala apertada, com o teto muito baixo e sem janela, tinha apenas uma mesa e duas cadeiras, a dele e uma para algum cliente. Mas a característica principal deste espaço eram as alternativas para decoração ser mais atraente, mesmo com escassos recursos. O jovem advogado/despachante mostrava que tinha forrado as paredes e o teto com vidro grosso e entre o concreto e o vidro, havia colocado flores de plástico, coloridas, para alegrar o ambiente. Logo, eu estava numa praia gaúcha, numa casa branca de dois andares, com muitas janelas de vidro, na beira do mar. Sentada ali, avistei minha prima e o seu marido na casa ao lado. Um senhor, moreno e magro, sentou ao meu lado e apontava para o sul, indicando uma estrada, dizia ‘ aquela estrada ali, a BR 293, vai para o interior do estado, só q no interior não tem nada, nem cidade tem mais, a estrada vai para lugar nenhum, lá tudo é vazio’ . fiquei observando e pensando o porquê da construção de uma estrada para nenhum lugar, achei curioso e deprimente. Depois de um tempo eu percebi que aquela estrada passava pela cidade de Cachoeira do Sul, falei para o senhor ‘ mas a cidade de cachoeira do sul até que é legal, ela é alguma coisa, ainda?’
Na casa dos outros / EDW

Estávamos na noite eu e uma amiga prostituta e grávida. Eu pensava se iria acabar me envolvendo com ela e considerava os inconvenientes. No fim da noite, já quase amanhecendo, ela sugeriu que nós invadíssemos a casa de um antigo professor meu, com quem eu nunca tive afinidade. Achei a idéia péssima, mas topei. Enquanto estávamos lá, comendo e bebendo as coisas dele, eu insistia para a gente ir embora, mas ela dizia que não dava nada. Já bem de manhã, o professor apareceu de roupão na cozinha e me pegou de sorriso amarelo, tentando apagar os vestígios da nossa presença. Ao invés de chamar a polícia, ele disse que eu era de casa, que aparecia quando queria. Eu não sabia que tinha toda aquela moral, e fiquei com vontade de dizer que ele era “um perfeito cavalheiro”. As visitas do professor começaram a chegar quando eu e a minha amiga puta e grávida saímos por uma estrada enlameada, num carro que eu tinha dificuldade de controlar.
festas / li

Acontecia uma grande festa, na frente da casa da minha avó, em santa maria. Eu não conhecia ninguém ali, mas todos sabiam quem eu era, me tratavam muito bem. Na minha frente passava uma mesa, que era uma esteira rolante, com muitos petiscos e bebidas. Tinha uma jarra com um líquido incolor. Achei q era Ouzo e provei, porém era uma bebida desconhecida, muito boa, uma bebida alcoolica com sabor suave. Eu também comia guacamole com farelo de pão torrado. Queria pegar mais coisas para comer, mas a mesa/esteira passava muito rápido. Logo, duas adolescentes q eu não conhecia me convidaram para uma outra festa, na casa de sua família, pois seus pais tinham ido viajar. Chegando lá, elas chamaram o Prince e o Axel Rose. Uma delas levou o Prince para uma sala pequena e eles ficaram deitados num sofá jogando rpg. O Prince usava uma máscara de ferro, em forma cônica, com abertura apenas nos olhos, não dava para ver seu rosto.De repente, Prince se levanta e diz querer transar comigo, mas mesmo a fins de transar com alguém, eu não queria que fosse com ele. Nesse momento, os pais das garotas chegaram na casa e elas, apavoradas, tentaram esconder os convidados. Fiquei mais tranqüila, pq não queria ter de explicar para o Prince pq eu não transaria com ele. No desespero as garotas atiraram o Axl Rose pela janela, já com o prince, era mais difícil, ele tinha dificuldade em se movimentar por causa da máscara, falei para ele que não iria ajudá-lo pq eu detestava suas músicas.Saí correndo e parei em uma avenida grande, perto do aeromóvel, em poa ,era uma madrugada quente e tudo estava vazio. Um jovem me acompanhava, ele andando de moto, eu caminhando ao seu lado. Fomos para a minha casa, q ficava próxima do rio guaíba e a festa que eu estava antes estava acontecendo ali novamente, do mesmo jeito. Uma adolescente, parecia mimada e mal-humorada, começou a fazer xixi no chão de toda minha casa. Fiquei muito braba e busquei um pano para limpar enquanto dizia q ela deveria ter mais cuidado com isso e que eu detestava limpar xixi dos outros. Fiz ela limpar tudo, aos gritos, e ela fazia o serviço com má vontade.
Visita / Lola

Meu primo estava de visita na minha casa e nós não jantamos.Qdo já estavam tds deitados ele disse que não conseguia dormir pq havia feito um treino muito puxado e estava com muita fome.Fiquei com vergonha por não ter abastecido a casa para espera-lo e ofereci um pedaço de bolo.Enquanto ele comia o bolo encontrei uns pães-de-queijo e pus para assar.Ele ficou contente.
carne / li

minha casa ficava no meio do campo, quase uma fazenda, só q não tinha animais nem plantação, não tinha nada mais, era só eu o campo e a casa. Era uma casa antiga e bem grande, e ali eu vivia sozinha, no meio da imensidão daquela planície. Andando pela casa, sempre me perdia ali dentro, atravessava muitas portas e era muito difícil chegar em algum cômodo. Assim eu vivia, andava sempre com uma águia no meu ombro, o tempo todo. Da varanda da casa eu avistava pequenos muros pelo campo. Eram muros antigos, assim como a casa, mas percebi que eles eram muros construídos com carne moída.
Furacão / Hannap

Sonhei que ia passar um furacão no Rio Grande do Sul. Ele ia ser mais forte no sul do estado. Eu morava em Santa Maria. Todos lá foram alertados. A gente limpou a casa em SM, só deixou uns colchões e coisas básicas de sobrevivência. Meu medo era que destroços viessem voando do sul e nos atingissem. Em Porto Alegre tinha outra casa, da minha família, só que lá a gente não mexeu em nada, ficou tudo como estava.

No sonho POA era mais ao norte do que SM, portanto o furacão ia chegar mais brando por lá.

Em SM apareceram uns amigos, Dimitre, Agus e mais duas meninas. Uma dessas meninas tinha sido minha namorada. Eu qeuria transar com minha ex namorada antes do furacão, mas o Dimitre e a Agus falaram com ela e impediram. Uma das meninas que estava na casa com a gente resolveu ir correndo para POA.

Me lembro que eu tinha encontrando com Deus e ele tinha me dado uma arma e me ensinado a manejar.

Lembro também que eu tinha que comprar um pano de 10 metros x 2 metros para estender num varal gigante que um velho gigante, professor, mandou eu comprar.
amistoso / en_drigo

o evento era um jogo de futebol, uma seleção feita só de sul-americanos contra outro time, que eu não conseguia identificar. o gol era de propriedade de um goleiro argentino, cabeludo.

era de propriedade, pois ele e outros goleiros argentinos tomavam conta da grande área, entravam e saíam do campo o momento que bem entendiam.

era curioso, pois essa gangue de goleiros argentinos - todos cabeludos, pareciam os integrantes do poison - se comportava como se o jogo não estivesse acontecendo, faziam piadas, fumavam, lutavam, exibiam-se pra torcida. fiquei irritado com esse displante platino e me perguntava porque a bola não chegava na zaga nunca.

"claro", concluí afinal, "o ataque é brasileiro..."
bowie e eu / li

estava num grande salão, com paredes de azulejos q formavam desenhos em tons de lilás e rosa. Lembrei q era ali q o david bowie tinha dirigido um filme muito bom. Tentei fazer com meu corpo a movimentação da câmera de uma das melhores cenas do filme. Fiquei ali girando e pulando e voando, logo chega o bowie e diz a mim, q meus movimentos estavam perfeitos.
Doces / Lola

Eu estava na casa da minha falecida avó.Tive vontade de comer algo doce e encontrei um pacote de bolachas champagne.Peguei uma e comecei a comer mas fiquei apreensiva pq o pacote estava escancarado e poderia haver alguma barata lá dentro.Mesmo assim eu comi e não apareceu barata alguma.Na outra prateleira havia um prato com rapaduras e ainda com o biscoito em uma mão peguei tb uma rapadura,e mais uma vez fiquei imaginando se durante a noite insetos não teriam passado por ali.Terminei a rapadura e indo até a cozinha encontrei um prato de cocadinhas,mas este não quis comer,pq era cocada branca e eu gosto das queimadinhas,e eu estavac om a boca cheia de rapaduras.