Drömma

aisling . dream . rêve . sogno . sonho . sueño . traum . śnić
Drömma Dreaming Logger — Coleção de Sonhos — Sonhário


Sonhei com uma folha de couve gigante, eu estava pelada e pensei em usar ela como roupa.


Entrei numa casa onde o casal residente agia completamente no modo automático.
O homem, com olhar vidrado, tentava ligar o carro a todo instante, mesmo sabendo que ele não ligava. A mulher andava pela casa com o mesmo olhar, arrumando as coisas que via fora do lugar.
Nenhum dos dois pareceu se importar com o fato deu ter invadido a casa. Fiquei triste por eles viverem daquele jeito.
Saí pela varanda do quarto e fui pulando de telhado em telhado no meio da noite, me sentindo vazia.


Sonhei que ficava com outra mulher, ela era loira. Estávamos na cama dela, nuas. Eu não queria fazer sexo e ela ficou chateada. Nos vestimos, analisamos bem as lingeries uma da outra, as minhas quando já estavam em mim, as dela, ainda na cama. Renda. Chegaram uns amigos dela na casa, ficamos trocando ideia. Fui embora sem me despedir direito.
piercing

piercingsonhei que fiz um piercing no mamilo


sonhei que namorava um cara desconhecido, me sentia cercada de muito amor dele no sonho mas, como sempre, tinha minhas dúvidas. de uma quinta pra sexta dormimos juntos e ele disse que como eu tava sem compromisso e no trabalho dele era tranquilo, eu poderia ir junto. fiquei por um lado contente e por outro relutante, já temendo conhecer os coworkers pela minha timidez. mas acabou que rolou legal, fiquei tranquila e foi um bom dia lá, ele era uma graça comigo. depois fomos pra um happy hour numa galera em um ônibus aparentemente fretado pra aquilo. encontrei uma garota com quem estudava no ensino médio e nos cumprimentamos brevemente e senti uma bad vibe, nem sabia muito porque, ela ficava olhando pra mim e pro tal cara sem parar quando estávamos juntos. não me lembro se eu falei algo ou se ele mesmo percebeu o constrangimento e me contou que ela as vezes frequentava o rolê deles porque é amiga de uma das meninas do trabalho e que em um desses roles eles ficaram. eu fiquei meio desconfortável mas pela minha insegurança mesmo. ficamos ok. passaram uma meia hora e eu fui falar com ela sobre, não queria que ficasse um ressentimento de qualquer tipo entre nós, não me lembro no que deu a conversa, o que ela falou, mas lembro que ficamos bem, não brigamos, nem nada. e por fim minha última memória era de nós dois, eu e o cara, juntos na volta no ônibus, conversando. ele fazia eu me sentir bem, calma e confiante e dizia "eu tô com você".


Estava com o Hugo em casa, me arrumando pra sair enquanto assistíamos tv, que inclusive tinha alguns canais que não existem, com conteúdo de política, cinema, música. Chovia. Um gato preto enorme veio arranjar briga com meus gatos mas o espantei. Estávamos conversando muito acalorados sobre política, concordando. Era noite, saímos de carro, em direção a Avenida Santa Barbara, enquanto passávamos por ela Hugo me contava que as fábricas abandonadas dali eram agora propriedade da polícia mas de forma secreta, me dizia que estava investigando isso há meses, eu me impressionou, sentia um pouco de medo. Não sei se exatamente por mim, ou por ele, queria abraça-lo forte.


Bruno e outras pessoas me felicitavam pelo meu aniversário, eu achava estranho, primeiro porque não nos falávamos há tempos e também porque meu aniversário é em março. contudo ficava contente pelas felicitações.


estava ligando para o SAC de algo e não tinha resposta há horas, liguei diversas vezes e não conseguia ser atendida de maneira satisfatória, falava em inglês no telefone mas estava no Brasil na casa da minha família, que no sonho era completamente outra, minha mãe era uma senhora branca já grisalha e eu tinha uma irmã que estava falando de uma outra irmã nossa que havia morrido de câncer. a casa também era outra.


eu tinha chamado o Vitor pra sair mas ele não me respondeu. uns dias passaram e ele me chamou pra sair, também esqueci de responder. ele me disse que o Douglas contou que eu estava viajando, eu confirmei, mas que já havia chego de viagem e queria vê-lo.


sonhei que transava, comigo mesmo. e no sonho, pela "primeira vez" (essa era a sensação), eu tinha a oportunidade de ver Eu de frente, minha genitalia. e quando olhei, era como se as coxas estivessem convertidas em duas grandes linguas porosas, molhadissimas, com uma serie de linguas menores no lugar da genitalia. tudo se movendo em espasmos involuntarios, muito molhado. então eu pensei "aaah, claro! é assim!" e acordei