Drömma

aisling . dream . rêve . sogno . sonho . sueño . traum . śnić
Drömma Dreaming Logger — Coleção de Sonhos — Sonhário
/ li

Estava caminhando pela rua Bento Gonçalves e ia embora.atravessei um atalho para pegar um táxi na outra rua, pq era noite e parecia perigoso. Ao chegar onde pensei ter táxis, o lugar era outro, um centro cheio de obras. Sente medo e voltei pelo terreno abandonado da empresa planalto. Ali encontrei o dono da empresa, usando roupas muito humildes, sapatos e furados, calça xadrez em tons amarelo surrada, e perguntei quem era ele, que escondeu quem era. Falei sobre sua empresa.
roubo / li

Haviam entrado na minha casa e roubado pertences, meu marido desesperado, foi atrás do sofá e pegou uma pasta escondida, que ele dizia que tinha muito dinheiro, e viu que foi roubado também. Tentamos encontrar quem roubou, era noite e saímos atrás de pistas. Caminhamos na avenida Medianeira, depois subimos num morro, com pequenas florestas em volta, e ali alguém achou uma blusa minha, e logo depois, no meio dafloresta, acharam uma calça minha, e foi concluído que eu havia sido violada, mas eu não lembrava de nada.
Vera / li

Estava caminhando por ruelas de Florianópolis e encontrei a filha da Vera Fischer, linda, de biquini azul, que me falou que ali havia tido um assalto, logo MV apareceu e dizia que seu ex namorado havia levado facadas e sobrevivido. Rafaela Fischer me convidou para ir na casa dela. Chegando lá, Vera era casada com o ator Diogo Vilela, e estavam cozinhando para o domingo.
Triste / li

Estava sentada na cama do meu quarto, e minha filha junto, quando ouvi entrarem no apartamento. Espiei e era a LV, usando uma blusa branca, muito pálida e tensae pedia o telefone emprestado. Ela não quis me falar o que era, mas eu deduzi que sua mãe não estava nada bem e a abracei forte, choramos juntas e minha filha veio fazer carinho em nós.
Entre misses / li

Estava na antiga casa de madeira da tia BVM, entrei no quarto das filhas dela, igual como eramá minha infância, Eu estava com um namorado de algum país nórdico, homem bem loiro e meio gordo, era um cara legal. Nos deitamos no sofá cama e ficamos em clima de muitos abraços e beijos quentes. Uma mulher com 3 filhas pequenas entrou ali também é deitou na cama do canto com as meninas. Não queríamos parar e ignoramos as crianças, mesmo que estivéssemos semi-nus. Parei, me vesti e vi que eu havia sido selecionado para um trabalho muito bom.
Logo eu estava num ginásio, no meio das candidatas a Miss Universo e eu era amiga s da Miss Zâmbia, uma negra lindíssima, mas tinha as unhas naturalmente pretas. conversávamos e ríamos, mas eu não lembrava ônibus e dela, o que a deixou triste.
Sonho da Lara / Hannap

Lara sonhou que estava numa festa.
Ela e eu.
Tinham várias comidas.
Tava a Allena.
Era um loucura.
Tava o professor dela, Jamil.
Era aniversário do Jamil.

Tinha um computador do Jamil, aberto.
Eu comecei a ver as fotos dele escalando.
Comecei a zoar ele, dizendo: aahh ele tem problema no pescoço, olha só!
Só que eu não sabia que ele estava ali perto, ouvindo os meus comentários.
A Lara ficou constrangida.

Tava rolando uma aula de ballet em algum lugar. A Lara tava meio excluída.
Tinha um torneirinha na aula de ballet. Lara foi lá encher a garrafa dela, pois estava com sede.
Dava pra descer uma trilha do horto.
Uma menina precisava de um espaço e foi descer a trilha.
As árvores eram muito compridas.

Lara estava descendo a trilha e tinha um corpo no chão, achatado.
Era um corpo muito grande, de uns 5 metros.
Só tinha a roupa e dentro da roupa tinham as chaves e a carteira.

Lara falou pra professora dela sobre o corpo. A professora ficou chocada, pois era um aluno dela de um grupo de estudos na floresta.

Depois a Lara voltou dessa viagem e encontrou os pais dela no aeroporto.
Os pais trouxeram um presente. Era um quadro com dois bebês se abraçando.
Esse quadro era referência de uma obra de um artista, que a Lara tinha descoberto nessa viagem.
Lara amou o quadro.
O Mauro tinha feito uma montagem e um dos bebês era a Lara.
Tinha um bilhete no quadro, mas a Lara não leu. Ficou com vergonha pois se ela lesse iria começar a chorar.
paredes em vidro / li

Estava em outra cidade, em uma casa nova. Fui tomar banho, mas tinha que esperar o banheiro desocupar, pois outras pessoas também o usavam. Quando chegou minha vez, entrei com toalhas na mão e de repente vi que as paredes eram de vidro, e muitas pessoas entravam para jogar handebol ali. Fiquei furiosa por meu marido não ter me avisado, pois eu já estava quase sem roupas. Algumas vezes Z era meu marido, eu não entendia muito bem.
Repteis / li

Eu e meu marido estávamos numa cidade turística, às vezes Gramado, às vezes Canela, às vezes Capão da Canoa. Procurávamos o antigo apartamento da minha mãe. Caminhávamos pelo centro bonito, atravessávamos um túnel e logo surgiam pontes de concreto, construções pichadas, lixo por toda parte e pobreza. Não encontrava o tal apartamento e sentia medo de andarmos ali, pois já anoitecia.
De repente nos avisaram que era para outro lado e que devíamos subir um morro. Encontramos o condomínio, mas um pouco abandonado, com grama alta. O apartamento estava sujo e chamei minha diarista para limpar, especialmente pq tinha muitas cortinas verdes nas janelas.
Olhei para fora e vi pessoas que eram meio répteis, caminhavam e de vez em quando pulavam como sapo ou se arrastavam como lagartos.
Aviso de Sonho ao Prefeito / li

Eu precisava encontrar o prefeito de Porto Alegre, para falar de um sonho que tive, e que era como um recado para ele. Era um sábado à tardinha e Mandei um whatsapp para ele, que respondeu imediatamente. Pensei que ele estava desocupado ou que achava que eu estava tentando flerte com ele. Trocamos umas palavras amigáveis e nos encontramos. Falei que era parente do Nelson, que também era seu parente, e que havia sonhado que estava com seu tio em Fortaleza e ele pedia para ficarmos todos juntos, unidos. Eu e o tio pegamos um avião de Fortaleza para Porto Alegre e desembarcamos na antiga rodoviária de Santa Maria. O prefeito confirmou que tinha um tio em Fortaleza, mas que há anos não se falavam. Caminhei pelo pátio lateral da casa da minha avó, seu jardim estava bem cuidado e com lírios azuis floridos, nos canteiros.
/ SL

Voltei p Israel.
Vi x.
Ficamos no quarto dele.
Fizemos sexo sem tirar a roupa.
Os pais dele e irmãos dele não me reconheceram. Falaram cmg em hebraico.
Eu me sentia diferente, mais bonita q a outra vez.
Estávamos em um clube e meninas desfilavam. X foi sentar com seus pais e me observava de longe. Eu atuava pois sabia q estava sendo observada. Conversava com uma criança sobre as roupas que ela usava e gostava. Vinham em um livro. Ela descolava e usava. Achei insano. A menina juntou-se às colega e fiquei sozinha. Me senti mal. Fui para o meu quarto. Abri uma garrafa de rum e não consegui beber. Comi chocolate. Separei todos os vidros e garrafas que eu tinha comprado para levar comigo. Eram 3 garrafas. Incluindo a garrafa de rum. Mandei uma mensagem para ele perguntando quais seriam os seus plAnos para o fim de semana. Nos encontramos em seu quarto de novo, ele me disse que na verdade, todos haviam me reconhecido. Fiquei frustrada.
Desci do carro com Y e conversei com nossos vizinhos, falei que a filha dele estava enorme! Eles me apontaram pra bebe deles e falaram que a filha enorme eles já tinham. Me mostraram o material didático q a filha usava em inglês no cursinho. E falavam algumas frases em inglês no meio.