Drömma

aisling . dream . rêve . sogno . sonho . sueño . traum . śnić
Drömma Dreaming Logger — Coleção de Sonhos — Sonhário
ambivalencia / mew

ambivalenciasonhei que eu e b. trocavamos mensagens e eu pedia desculpa por ter parado de falar com ele e diziamos que estavamos com saudades e eu disse que iria visita-lo, no sonho acho que eu sentia falta dele mas na vida real ele me atordoa pelo quanto ele fala e pelas coisas que ele fala tambem.
Volta / li

Estava numa casa antiga e reformada, grande. Era uma reunião de amigos, e lá estava o Edmundo Cardoso, que me deu dois livros. Sentei numa mesa ao lado da tia N e minha filha nos derrubou das cadeiras. Chovia muito, em todo Brasil. Ouvia dizerem que a corrrente de chuva de Pernambuco atuava para o tempo ficar assim. Voltei para casa de carona, vi que anoitecia. Uma caminhonete saia da frente do meu prédio e vi que nela tinha grades iguais às do prédio. Entrei no corredor e vi que havia vários rosarios no chão e na maçaneta, um em forma de espiral.
/ mew

eu estava no quarto da g. vendo o guarda-roupa dela, tinham varios cintos coloridos fininhos de cores diferentes, elas eram vibrantes e infantis, assim como todas as outras pecas do guarda-roupa. eu pensei que talvez cada fileira daqueles cintos fosse de um membro diferente da banda ja que eram muitos e na minha concepcao no sonho era padrao da banda sempre estarem usando esses cintos, mas isso nao acontece na vida real. depois eu passei a olhar pros shorts dela, como a cintura e as pernas dela sao bem finas os shorts eram da sessao infantil, eu fiquei com inveja dela por conseguir comprar roupas na sessao infantil, o primeiro short que eu vi tinha um personagem de um desenho ou video game estampado e na hora que eu o olhei eu o reconheci, mas agora acho que esse personagem nem existe. ele era verde. tudo era muito colorido ali. pensando agora o quarto parecia ser o quarto antigo da minha irma, que uma hora se tornou meu quando a gente trocou.
Apartamentos esquecidos / li

Lembrei que eu havia morado em um apartamento térreo, na rua Lima e Silva, em POA, e era fato que eu havia esquecido completamente. Lembrava que era uma época que eu nunca saia de casa, mas não conseguia lembrar de detalhes como pq eu escolhi o lugar e como vivia.
Logo, estava em um apartamento, com o teto baixo, e tinha que caminhar com o corpo abaixado, e lembrei que eu poderia estar no filme 'Quero ser John Malkovich'. Nesse apartamento eu moraria com FS, sua esposa estava ali e ele dizia que nós dois poderíamos nos casar na hora que eu quisesse. MS veio visitar e fez uma decoração do lugar, dizia que o quarto tinha boa janela e terraço, mas a sala era meio sufocante.
Minhas coisas / li

Eu vi FP conversando com SO e estranhei, e logo ela veio dizendo que ia trabalhar com SÓ. Achei estranho,pois ela não tinha experiência bem conhecimento do trabalho. Logo ela desceu a rua da sua casa eveio cuidar da minha filha e sobrinhas MC e OC e senti invadida. Percebi FP louca é obcecada em ter minhas coisas, e lembrei que ela se tornou amiga de meu ex namorado, no facebook, e nem eram amigos, o que me estranhou, nas consegui entender sua loucura.
Falei para ela deixar minhas coisas e ela me perseguia, até que comecei a agredi-lá fisicamente.
Vim para meu prédio e vi novas vizinhas nos apartamentos térreo, e ambas eram designer e tinham decoração bonita, é um acervo de tintas e lápis coloridos lindos. Vi que no corredor da garagem havia umas pichações feias e alguém começava a corrigi-las.
presságios e violência / gruszka

sonho I:
eu andava por shopping um pouco abandonado, as lojas já estavam todas fechadas. notei que havia um homem desconhecido me seguindo e não consigo lembrar detalhes de seu rosto. apertei o passo para conseguir sair dali, mas todos os corredores pareciam dar nas mesmas saídas fechadas. comecei a ficar angustiada com a situação, e me virei para encarar o homem. tirei uma arma de algum lugar e tentei descarregá-la na sua cara, mas não parecia surtir efeito algum. o homem continuava andando atrás de mim, sem me tocar ou sequer falar comigo. apenas andando de maneira ameaçadora. me virei de novo e comecei a socá-lo com todas as minhas forças, mas os socos saiam moles e eu me sentia impotente. acordei exausta depois de tanto tentar matá-lo.

nesse dia, voltando para casa, descobri que haviam atirado seis vezes no rosto de um homem no meio da rua, e que o local coincidia com o meu trajeto diário, pouco tempo antes de eu passar por ali.

sonho II:
nesse sonho eu jogava um grande vaso de flores contra o rosto de outro homem, deixando-o cego. lembro de estar contando do ocorrido para alguém e revivendo as cenas na minha memória. logo depois disso, estou andando por um barracão cheio de brinquedos antigos. cada corredor e cada estante é separada de acordo com os donos desses brinquedos. alguém me leva até a minha estante e eu vejo todas as minhas coleções de infância. me abaixo para relembrar das minhas bonecas e acabo sendo picada por uma aranha branca.

fazendo uma pausa no trabalho para fumar um cigarro, percebo que tem uma aranha subindo pelo meu braço.
Aristides, almoço / dmtr

Sonhei com meu avô Aristides,
sonhei que ele vivia sozinho ha um tempo, não falava com muita gente
ficou morando sozinho e isolado e nao dava trabalho pra ninguem
fazia a propria compra, a propria comida
todos elogiavam que ele nao dava trabalho
e eu tinha curiosidade de passar um dia la
mesmo q sem conversar (pois no sonho ele nao falava com ninguém)
mas passar um dia na casa dele, e se possivel comer um almoço feito por ele
era isso
Limbo / Akym

LimboSonhei que a cidade tava perigosa porque não tinha polícia, fui encontrar algum amigo e era fim de tarde, sentei no chão atrás de umas lojas e fiquei esperando, passou muito rápido e ficou logo noite, chega um cara de moto e lentamente pega um objeto dentro do casaco, acho que é uma arma, fico encarando pra ter certeza, quando ele aponta a arma pra minha cara e eu tenho certeza que é uma arma penso "vou morrer" aí tudo fica completamente preto, um breu, nao vejo nem escuto nada. Não sentia meu corpo, era o -nada- absoluto. Aí fico com medo pensando será que eu morri de verdade e logo depois acordo e abro o olho mais ou menos, vejo a janela do quarto mas não consigo abrir os olhos direito, ficam muito pesados, acabo desistindo de lutar contra o sono e volto a dormir.
sala de espera dos sonhos / apta

Sonhei que estava em um lugar que era tipo um café que era uma sala de espera dos sonhos. Você ficava lá sentado esperando o sonho chegar. A sensação que eu tive no sonho era uma mistura entre tédio e que aquilo era super comum e eu só tinha percebido naquele momento que a sala de espera de sonho era normal.
motivação / cauli

O céu tinha uma cor de raiar do dia, lilás
mais pra azulado que vermelho.
Tinha uma Lua branca, grande.
Os paralelepípedos no chão eram detalhados.

Eu estava perto da casa da vó e sentia falta dela (P)

Eu não conseguia andar por sentir falta dela
sentimento que escondo de mim mesmo,
mas agora consumia toda a minha alma

Eu tentava, juro que tentava andar e não conseguia
subir a rua que subi tantas vezes
e parecia tão fácil
mas o problema não era ela
nem a rua
era eu que sentia falta dela
e meus movimentos travavam
ensopados de tristeza
e do vazio que sobrou na minha alma

Não consegui subir aquela rua
que eu já tinha subido tantas vezes
com tanta velocidade apesar do esforço
e agora que ela se foi de vez
levou com ela essa parte de mim
que atravessava qualquer esforço fingindo não ser nada
porque agora meu esforço todo é fingir que não sinto falta dela


Autoanálise:

Nem sei por que ainda sonho com Cornélio
Parece que todos os meus sonhos lá são mais
viscerais, talvez por ter passado minha juventude lá

Esse sonho também explica minha extrema dificuldade
em trabalhar depois do término, que só agora
está curando. Sinto que esse sonho vai ser fundamental para
curar de uma vez.