Drömma

aisling . dream . rêve . sogno . sonho . sueño . traum . śnić
Drömma Dreaming Logger — Coleção de Sonhos — Sonhário
Axl / Lua

Sonhei que era o Axl Rose que dublava o personagem Chucky (Child's Play)
Pessoas invasivas / li

Eu morava em uma casa com grande janela de vidro. Morava sozinha e não sabia o que fazer na vida e na casa. Saí a caminhar e por horas estava em Porto Alegre e São Paulo. Passei por uma galeria de arte e vi X e sua esposa sentados na frente de uma galeria, furiosos com uma obra exposta e planejavam destruí-la. X estava magro, parecia rosto da época da adolescência. Falavam coisas pesadas e senti medo, dava a entender que agora era terrorista. Voltei para casa fugindo de X e logo uma senhora bate na porta da minha casa e diz que ali havia sido marcada uma reunião e eu falei que não, mas ela insistia. Eu fechava a porta e ficava uma fresta e Y tentava entrar pelo espaço. Fui para uma feira livre na rua e numa banca mais distante vimos o jornalista DG e ao ver o que ele vendia ali, pensouvque eu estava flertando ele é começou a me assediar. Vi no meu lado MA e me abracei e pedi para ele fingir que era meu namorado.
Swamp magic / Lua

Sonhei que fui fazer trilha num pântano e lançei um feitiço pra afastar os jacarés.
Estiquei a mão direita na direção dos bichos e disse "gort klaatu barada nikto" três vezes.
piercing

piercingsonhei que fiz um piercing no mamilo
saÚdade / mria c

saÚdadesonhei com meu pai.
ele se foi há 3 anos.
sonho:
o encontrava no quarto sentado na cama, com olhar perdido e confuso.
__ ô minha filha, como vc está bonita!__ disse meu véio.
levantou da cama pegou em minhas mãos e, me levou para ver a coleção de quadros dele. um mais bonito que o outro. o que me recordo da imagem, era um que ganhei de presente, no sonho.
ele se foi. mas pude sentir de perto o cheiro dele e o carinho.
/ gui v.

descobri que sempre tive um terceiro casal de avós que meus pais esconderam de mim a vida toda. um avô músico, jamaicano, e uma avó indiana. meu pai está doente, mancando. choro ao pensar que ele pode morrer. converso com minha irmã dentro de uma igreja, ela diz que não sabe o que meu pai tem. tento me preparar. faço uma foto de meu pai em uma torre de telefone.
Parecia rúcula / Ranunculus

Parecia rúculaSonhei, demais, e não consigo lembrar, mas não esqueço, eu chorava, eu aclamava.... cortaram meu pé, antes mesmo de eu saber o que ele é... Que tristeza profunda
/ li

Da janela do meu antigo urato espiei pela janela e vi que era madrugada e que havia um carro na frente da casa da família MP com luz acesa.esperei e logo saiu JM em uma cadeira de rodas com as 2 filhas. Ofereci ajuda e logo elas saiam do quarto da minha avó, e minha avó estava deitada numa cama em madeira na frente da porta de entrada da nossa casa. Vi que JM estava maquiada. Logo eu caminhava numa rua de periferia, local modesto, com cachorros maria e LCV me contava ué pessoas queriam substituir ela no trabalho, por mim. Ela mostrava uma roupa que me presentearia e tentava me explicar uma conexão dessasnpessoas que preferiam o meu trabalho ao dela, que eu não conseguia entender. Num sofá, sua filha me falou “kitty”. Logo eu caminhava com um cara muito legal, um artista, que pedia para eu fotógrafa-ló caminhando. Em frente à uma vitrine de loja , no calçadão, lá dentro alguém falava algo e FJ discordava e eu citei um exemplo dos anos 70 na Mercedes Benz. Vi AKW me saudar.
/ gui v.

eu estava em uma cidade muito pequena. à noite, enquanto andava sozinho pelas ruas do lugar, parei em frente a casa dos pais de lorena. ela havia se suicidado. senti uma energia muito estranha vinda daquele quintal vazio e escuro. mas as luzes se acenderam, e, como um circo de animatrônicos ganhando vida, os pais dela apareceram preparando sanduíches caseiros (5,25 cada um). muitas pessoas vieram comer. perdi o medo, entrei, conversei com a mãe de lorena, mas ela não parecia se lembrar de mim. comprei um sanduíche e fui embora.


sonhei que namorava um cara desconhecido, me sentia cercada de muito amor dele no sonho mas, como sempre, tinha minhas dúvidas. de uma quinta pra sexta dormimos juntos e ele disse que como eu tava sem compromisso e no trabalho dele era tranquilo, eu poderia ir junto. fiquei por um lado contente e por outro relutante, já temendo conhecer os coworkers pela minha timidez. mas acabou que rolou legal, fiquei tranquila e foi um bom dia lá, ele era uma graça comigo. depois fomos pra um happy hour numa galera em um ônibus aparentemente fretado pra aquilo. encontrei uma garota com quem estudava no ensino médio e nos cumprimentamos brevemente e senti uma bad vibe, nem sabia muito porque, ela ficava olhando pra mim e pro tal cara sem parar quando estávamos juntos. não me lembro se eu falei algo ou se ele mesmo percebeu o constrangimento e me contou que ela as vezes frequentava o rolê deles porque é amiga de uma das meninas do trabalho e que em um desses roles eles ficaram. eu fiquei meio desconfortável mas pela minha insegurança mesmo. ficamos ok. passaram uma meia hora e eu fui falar com ela sobre, não queria que ficasse um ressentimento de qualquer tipo entre nós, não me lembro no que deu a conversa, o que ela falou, mas lembro que ficamos bem, não brigamos, nem nada. e por fim minha última memória era de nós dois, eu e o cara, juntos na volta no ônibus, conversando. ele fazia eu me sentir bem, calma e confiante e dizia "eu tô com você".