Drömma

aisling . dream . rêve . sogno . sonho . sueño . traum . śnić
Drömma Dreaming Logger — Coleção de Sonhos — Sonhário
/ mino das cordilheiras

eu estava num quarto de uma casa estranha, de teto baixo e paredes opressivas, dois amigos meus estavam lá dentro, eu tentava mijar na privada sem tampa do banheiro sem porta enquanto meus amigos conversavam comigo, porém, sinto dificuldade de urinar com gente por perto (e escrever sobre isso me deu vontade de ir ao banheiro), então, desisti. quando volto para o quarto aparece o meu irmão entrando pelo corredor escuro e saca uma pistola prateada, meus amigos estão sentados e não vejo a reação deles, mas provavelmente nem ao menos se moveram; eu olho pra arma, vejo seu brilho e recebo dois tiros na costela logo em seguida. não tive tempo pra esboçar nenhuma reação, ou sentir medo, apenas caí no chão sentindo a sensação perfurante dos projéteis na lateral direita do meu corpo; fiquei ali deitado me perguntando o que eu tinha feito para o meu irmão, que emoções dele eu negligenciei, que covardes calúnias ele me ouviu dizer pelas suas costas...
acordei sentindo uma dor no mesmo lugar em que recebi os tiros.
/ Smithf562

Fckin amazing things here. Im very glad to see your post. Thanks a lot and i'm looking forward to contact you. Will you kindly drop me a mail? edcbekkggeeebabf
/ Smithe715

mometasone spray over counter dgefeedbebadkeea
Adolescência / li

Fui visitar um apartamento para comprar, que ficava no 42 andar de um prédio na esquina da rua Serafim Valandro com Venâncio Aires.
Entrei no apartamento, uma cobertura grande, com decoração pesada em tons escuros, e percebi tudo muito velho e nada limpo, como se tivessem abandonado o local repentinamente. Na cozinha comidas podres no forno, portas emperradas e muito pó. Tentei sair imediatamente, o ambiente era pesado. No corredor do prédio, fui pegar o elevador, que era minúsculo e muito veloz, senti medo e fui pelas escadas.
Depois eu estava num apartamento de estudantes do interior, eu namorava um dos moradores, bebíamos vinho e amigos chegaram para tocar e vi que tinha um antigo baterista da cidade, que voltou a tocar, o C. Conversei com moradores num banheiro antigo enorme.
Meu namorado era alguém parecido com ERF e muito imaturo. Bebeu muita vodka e me traiu, após chamou a tia para ir embora. Eu só me deprimi que tinha pessoas assim.
Indivídou / Hannap

Sonhei que meu pai Eugênio pedia pro meu pro Dudu, meu irmão, cavar um buraco na terra com uma pá. O Dudu fazia errado e não conseguia. Atirava a pá no chão. Então meu pai ensinava como ele tinha que fazer e minha mãe dizia: - Ah! Então ele não pode ser um indivíduo? Deixa ele fazer do jeito dele e ir descobrindo.
Eu e meu pai nos indignamos e dissemos que se ele fosse ensinado e fizesse certo (igual a todo mundo) aí sim ele poderia ser um indivíduo. Eu disse: - Mesmo que ele aprenda com outra pessoa vai fazer do seu jeito. É inevitável ser um indivíduo.
Contei isso pra Maritza e ela concordou com a minha mãe. Eu insisti e disse: - É impossível não ser um indivíduo.
/ Smithc654

Good web site! I really love how it is easy on my eyes and the data are well written. I am wondering how I might be notified whenever a new post has been made. I've subscribed to your RSS which must do the trick! Have a great day! feddekbdeeegbcba
Set de filmagens / Aspros

Estava na universidade e havia um dormitório no qual dividia com um colega. Certa hora o meu colega disse que ia viajar e que eu deveria voltar pra casa. Quando voltei um senhor que supostamente era meu tutor disse que ia viajar pra Sorocaba e que eu deveria voltar pra universidade. Voltei para lá e meu colega havia sumido. Fui atrás dele e acabei entrando em um porão que conduzia a um submundo dos mortos. Meu colega estava preso lá. Fui recebido por ele e mais uma pessoa, mas eles agora tinham formato de morte/demônio e me conduziram até um portão. Atravessamos o portão e eles voltaram à forma humana, mas a roupa deles estava cheia de teia de aranha. Então descobri que eles foram sequestrados e obrigados a filmar uma espécie de filme de terror. No set ao lado do nosso estava sendo gravado um vídeo-game que seria lançado no google store. Um dos colegas de set me beijou e eu achei estranho. Então fui tomar café com uma colega.
Demônios / Aspros

DemôniosEstava no aeroporto com uns amigos, subimos a escada rolante e havia umas pessoas muito estranhas descendo-as. Abordamos estas pessoas e se tratava de demônios em forma de gente, disseram que iam nos atormentar. Eles desceram e seguimos subindo. Comecei a pedir pra são Gabriel, Miguel e Rafael tomar alguma providência. Subimos até o teto do aeroporto e o céu estava começando a ficar negro, e o contraste entre o mar cristalino ficou incrível. Parecia que tinha acabado de chover. Os demônios voltaram incomodados com algo que havia acontecido e eles estavam atrás da gente.
Apareci num campo aberto, o céu estava limpo. Parecia ideal para fazer um picnic. Estava deitado numa toalha de picnic com alguém. Olhávamos para o céu e surgiu um dirigível que estava com algum defeito grave porque o dirigível estava extremamente inclinado para frente, tanto que despencou uma cadeira de lá. As pessoas que estava dentro estavam tranquilamente sentadas e começaram a fazer uma coreografia meio religiosa sentadas.
Barata / Aspros

Acordei no meio da noite, fazia calor e eu estava sentindo algo suave pela lateral do meu corpo. Eu olhei por baixo da minha regata, e havia uma barata misturada com barbeiro andando. Me apavorei e passei a mão querendo espanta-la e ela se desfragmentou em um monte de partes. Acordei de verdade e fiquei procurando baratas pelo quarto.
Matrimônio de um covarde / Saborga

Matrimônio de um covardeSonhei que estava em copacabana especificamente na Miguel Lemos andando para num evento da minha empresa com alguns brasilis e vários gringos sentados em várias mesas de bar que ficavam em diagonal amplo, pé direito alto, luz baixa e velas na mesa. O Bar (que não existe) era um estilo meio nova iorquino. No caminho encontrei o JW Suiluj e ele foi também. Um pouco pelo meu convite meio sem querer que ele fosse mas outro por outro lado querendo mostrar para mim mesma que eu já havia superado tudo. Sentou um pouco perto de mim mas logo depois foi para outra mesa ainda no meu ponto de vista. Ele estava um tanto desconfortável e eu tb devido a toda a situação que vivemos quando terminamos. Mas acho que até estávamos conversando andando em direção a superação do passado quando ele me trás um envelope. Um envelope vermelho rosado meio melancia e vinha escrito meio nome meio rasurado no lado da aba e logo embaixo... convite para o matrimônio de JW e SK. Wowwww levei um susto de estar recebendo aquilo. Ele se distanciou e eu fiquei pensando se eu dizia obrigada e me remoía por dentro ou se chamava ele num canto e falava o quanto sem noção ele era em estar ali e ainda mais me dar um convite daqueles.
Corta acordei em São Paulo inda para a casa da Fafá que não era exatamente o prédio dela. Tinha uma escada estreita, luz amarela e parecia que tinha um mezanino. Ela me mostrava o tanto de coisas que ela tinha comprado. Ela comprou algo como um balde que ficaria invertido e que receberia uma cabeçona de plástico de uma ovelha toda cinza. Era lindo. Mas era algo TOTALMENTE inútil. Comecei a ficar P da vida com ela e falar que não aguentava mais ela reclamando de dinheiro enquanto não parava de comprar tudo. E ela ficava tentando o tempo todo justificar cada uma das compras.