Drömma

aisling . dream . rêve . sogno . sonho . sueño . traum . śnić
Drömma Dreaming Logger — Coleção de Sonhos — Sonhário
Caetano e Bolsonaro / Hannap

Sonhei que eu e Caetano Veloso, entre outras pessoas, frequentávamos uma aula ministrada pelo Carlos Bolsonaro. Era uma aula em alguma faculdade.
Eu tratava muito mal o professor Carlos. Os meus colegas ficavam quietos. Eu xingava o professor de burro, ameaçava bater nele, saia da sala enquanto ele falava, corrigia ele o tempo todo.
Era constrangedor. Meus colegas também achavam um absurdo tudo o que o Carlos falava, mas se incomodavam ainda mais com a minha agressividade.
Leather Jacket / Kaneda

Estava numa sala de aula da qual nunca tinha estado antes, quando então me apareceu um rapaz e disse que tinha algo a me entregar. Trouxe em mãos uma jaqueta de couro e eu logo percebera que era a minha, sem mais ele a devolveu para mim e disse que tinha sido o pedido de uma menina. Como um flash, veio em minha mente o exato momento em que eu entregara a jaqueta para Arayan! Entristeci demais, fiquei deveras desapontado. A devolução da jaqueta era o sinal de que jamais nos encontraríamos novamente, pois anteriormente havia entregue como símbolo de nosso reencontro e que talvez nos amássemos novamente.
Fiquei muito consternado. Repensei o futuro, revisitei o passado.
Chorei. Saí da sala, tinha portas de correr como as salas de aula japonesas, e fui ao jardim.
Caí de joelhos e lágrimas sem controle escorriam pelos meus olhos.
Meu coração se desatou. Jamais sentira tamanha derrota pela vida, pela família e agora, pelo seu grande ex-amor.
Música gravada / Kaneda

Sonhei que alguém havia me pedido para gravar uma música muito especial. Peguei o MD e fiz gravação de um disco bem antigo com várias músicas para entregar a pessoa. Gastei um tempo para poder fazer a coletânea e entreguei junto com o gravador.
Parto do bebê ovelha / Hannap

Eu estava na minha casa, com uma mulher.
A gente tava com tesão um no outro.
Já era tarde. Na hora em que ela quis ir embora foi quando a gente se beijou.
Eu acho que a gente começou a transar e ela já tinha chamado o Uber.
Aí ela foi embora. Acho que era a Clarisse.

Depois eu fui visitar a Pat Pinheiro.
Ela me chamou para uma festa na casa nova dela.
Eu cheguei lá e não conhecia ninguém. Eram todos jovens.
Eu estava usando aparelho móvel nos dentes. Eu me sentia muito estranho.
Encontrei com ela, nos abraçamos e fiquei sentado.
Percebi que algumas meninas me achavam interessante.

Depois eu estava em uma casa muito grande. Em Barcelona. Era a minha casa.
Era uma casa com jardim.
Várias pessoas estavam entrando pela janela em fila indiana e roubavam frutas da minha casa.
Eram pessoas zumbi.

Eu entrei na cozinha da casa e vi as pessoas caminhando sobre o balcão.
Comecei a gritar e expulsei todas as pessoas de lá. Eu gritava em catalão e em espanhol.

Depois disso começou a chegar muita gente na casa. Eu era o anfitrião.
Eu recebia uma menina que era minha namorada. Parecia com a Lízia Bueno,
mas era uma menina que estava na festa da Pat Pinheiro e talvez a mesma menina com quem eu transei no início do sonho.

Haviam vários bichos e plantas no quintal.
Eu mostrava a vista da cidade pra ela.

Fomos até o jardim e mostrei a casa, com 3 andares. Minha casa era toda de vidro.
Eu disse: - Olha lá o Gandalf.
Eu tinha 2 ou 3 Gandalfs, que eram senhores barbudos que ficavam lá no último andar, escrevendo.
Eu disse pra ela: - Vamos subir, vamos lá falar com os Gandalf.

Nesse instante passa por nós uma menina correndo, tocando uma cornetinha.
Ela começou a tocar a corneta na orelha dos bichos. Depois ia correndo atrás dos bichos, que fugiam dela.
As aves voaram pra fora do terreno. Vários bichos fugiram com medo.
Chamei ela e disse pra ela parar de espantar os bichos.

Uma ovelha, a Helena, veio pulando assustada e ficou no meu colo. A Helena estava inquieta.
Eu começo a subir uma escada com a Helena no colo, mas ela está agitada.
Eu tento acalmá-la. De repente a Helena começa a parir um bebê ovelha e ele nasce na minha mão.
Ela pariu e saiu correndo e eu fiquei com o bebê dela e comecei a chorar.
Foi muito emocionante! Comecei a chorar descontroladamente.

Aí a Carolina, minha irmã, apareceu e pegou o filhote recém-nascido no colo.
Colocou uma roupinha nele e me consolou.

Eu desisti de continuar esse sonho porque eu fiquei muito emocionado.
Foi a coisa mais incrível que eu já senti!

Eu entendia que no sonho eu estava grávido. A menina com quem eu havia transado estava grávida.
Só que naquele momento, o bebê que estava dentro dela se materializou no bebê da ovelha Helena.
E então a menina já não estava mais grávida.

Pegar o nenê no colo e ter feito o parto da ovelha foi a coisa mais emocionante que já havia acontecido comigo.
Rio e Santa / li

Fiz amizade com uma moça que fazia maquilagens e dava aula de teatro. Ela era vizinha de CMF e eu falava sobre ele, pois parecia que tínhamos um romance. Logo eu estava no Rio de Janeiro, na casa de uma moça é um homem velho, era de frente para o mar, no “paradouro 9”. Tentava fazer fotosnpara postar, mas obligar não era tão bonito, muita areia branca e fina e uma placa escrita “paradouro 9” com letras azuis. Em Santa Maria eu estava caminhando por uma antiga estrada no alto de um morro, que havia sido reaberta para o transitar. No caminho eu avistei um vale bem profundo com algumas casas antigas e inundadas por um lago.
Quarto amarelo / li

Meu marido comprou móveis para nosso quarto, entrei, era um quarto em um pátio de um apartamento que não conhecia. Um quarto bonito, em tons de amarelo e mostarda. Quando deitamos na cama vi que não era de casal, e sim de meio casal. Eu estava casada com Z e éramos felizes, sua bisavó nos visitava e eu sentia feliz.
Estava dividindo apartamento com minha primeira colega de trabalho, MIBB, e logo entrou um homem perguntando por ela, e ela fingiu que era outra pessoa e o mandou embora. Ela disse que ele era um homem perigoso.
2 Mesas redondas / li

Andava por uma cidade diferente, mas subia a rua Pinheiro Machado, próxima à Benjamin Constant, de Santa Maria e entrei em uma casa que eu havia pedido para minha mãe comprar mesa e cadeiras para a sala de jantar. Entrei e a casa tinha 2 níveis educas salas de jantar. A mesa que minha mãe comprou estava no nível abaixo, era redonda , de 4 lugares e 4 bancos. Não gostei que não tinha como se escorar e pq já havia uma mesa redonda no outro nível. Resolvo não reclamar.
Caminhei em uma praia, meu primo FCV mandava fotos dele e da esposa por ali. Havia caminhos para praia e a minha casa era de madeira cinza e as portas não fechavam bem. Sentia medo pq a noite chegava. Eu parei na casa de EP e éramos amantes, mesmo com sua esposa ali. Cheguei na casa donoso de Z e ele me mostrou uma dá-la no segundo andar, com muitos tapetes e peles e uma janela que dava para o terraço.
Cordilheira em Gramado / li

Estava caminhando na rua André Marques e avistei meu amigo SÓ é outro, e fui correndo vê-los, dizia que era o encontro perfeito, os dois melhores amigos que eu tinha. Caminhei até o prédio de S e me chamaram a entrar na garagem. Sua família estava lá e eu conheci os novos membros da família. A irmã de S me deu seu livro de presente senti feliz. Todos familiares chegavam ali e conversávamos felizes.
Caminhei até chegar em um lugar de Santa Maria que se chegava perto dos morros e habitábamos morros que me intrigavam, estranhos e que eu sempre quis ver de perto e saber o que havia neles. Caminhei por umas ruazinhas e logo era cono Gramado e tinha as montanhas da Cordilheira dos Andes com neve e a cidade decorada com enormes bichinhos de pelúcia pelas ruas. Fazia fotos e nenhuma saia boa.
Santa Terezinha / li

Eu ganhei um presente, como uma escultura com uma rosa, e no meio dela, tinha uma pequena escultura de Santa Terezinha ajoelhada, com traje marrom de freira.
Rudá e a piscina / li

Eu era casa com o Tatata Pimentel bestávamos numa ilha de Angra dos Reis, que era de um político corrupto. A ilha era chique e linda e de repente apareceu m filho meu, adolescente e brabo por eu estar ali. Expliquei que eu não compactuava com a corrupção, mas o filho ficou brabo. Eu e Tatata fomos ao terraço dentro de casa, e logo sai para i terraço para chamar o filho, quando eu avistei seu corpo boiando na piscina e gritei seu nome, Rudá. Tatata me acudiu.
Logo eu via RGM, um antigo amigo se jogando na piscina e fingindo de morto para suas duas filhas.
Em uma montanha eu e meu marido vimos minha tia Lena caminhando lá embaixo, ela magra e de preto, e pensei que ela ia atrás de mim. Fui encontrá-la, mas ela sumiu. Vi também minha mãe caminhando perto do calçadão de Santa Maria e fui encontrá-la, mas a perdi.
Havia deixado meu notebook no carro, na garagem do edifício da Aníbal Barão e desci para pegar, entrei no quarto de alguém conhecido e observei que havia outro com janela basculante na frente,!9onde se enxergava um quarto como de hospital.
Na rua Bento Gonçalves de Santa Maria eeu andava de carro co inha prima KVS efalavamos que não iríamos na festa da família.