Drömma

aisling . dream . rêve . sogno . sonho . sueño . traum . śnić
Drömma Dreaming Logger — Coleção de Sonhos — Sonhário
Pai triplo / li

Eu morava no meu antigo apartamento em Poa, mas o apartamento era maior. Alguns amigos visitavam. RR, meu conhecido, meu marido e um ex namorado, que explicavam para minha mãe que eu estava grávida de um menino, e os 3 eram o pai.
Hospedagens / li

Fui passar um fim de semana numa fazenda de amigos, com Manuel B. E Anelise M., foi um diabo campo e logo era hora de voltar. Fomos procurar ônibus na estrada e vimos a caminhonete Branca do marido de Anelise, lá dentro da fazenda. Logo estávamos chegando num hotel, com Manuel B., meu marido e filha e mais alguém que não lembro. O quarto do hotel tinha um pátio que dava para um lago, e os vizinhos eram partes do presídio. Havia a ala de presos ricos, que tinha um barco para eles passearem. A parte dos presos pobres era toda construída de barro, muito primitiva e lotada. Senti medo e resolvemos voltar. Ao arrumar as malas no quarto eu encontrava brinquedos e sapatos que não eram meus. Embaixo da cama tinha uma sandália cor de rosa, em cima do guarda-roupas, brinquedos, e pensei em levar um para mim, mas logo pensei que era roubo e desisti.anelise M. Usava uma blusa amarelo ouro.
A esperar

Eu estava numa avenida bem movimentada esperando o ônibus e conversando com outras duas mulheres, desconhecidas. Estava de mau humor, com pressa. Me afastei um pouco delas pra ver se o ônibus estava vindo e disse algo que não me lembro, descontente. O ônibus parecia demorar ainda mais.
Casa da tia

Casa da tiaEra noite e eu andava só pela minha cidade a procura de uma casa, quando cheguei até ela percebi que era a casa da minha tia Janete mas quando cheguei ela e meu tio estavam de saída pra um compromisso, então disse que não me importava, que estava tudo bem e eu voltaria pra casa mas eles insistiram pra que eu ficasse lá, mesmo sem eles e eu aceitei. Minha tia me perguntou se eu estava cansada e eu respondi que sim, estava. Depois meu tio me mostrou a casa, a área do fundo, que tinha uma porta pra rua, onde havia uma pequena praça ao lado de um campinho de futebol, com uma galera fumando maconha. Fechei a porta. Eles foram ao compromisso e eu fiquei num quarto, sentada na cama, pensando.
Trajetos / li

Fui ajudar a cuidar de VMM no hospital, seus pais não poderiam estar na hora que ele saísse da cirurgia. O quarto ficava num andar no subsolo,lembrava o local da escola Maria Rocha. Entrei no quarto e Ainda estavam arrumando, vi sujeira, havia fezes na cama.
Fui em uma loja, emPortugal, e havia roupas lindas, mas todas eram fabricadas no Brasil, e não entendia como não encontrava o nas lojas Brasil. Pensei em comprar um vestido de tricot Branco, pensei em parcelas de 20 euros.
De repente eu tinha me mudado para nova casa, onde morou ACKA e sua mãe, na rua PaulHarris. Abri a casa e muitas pessoas passeavam pela rua e vinham me visitar, primeiro meus primos, depois ACKAe sua irmã é conhecidos da minha adolescência. A frente da casa se transformou num point e eu tentava levar bancos para as pessoas sentarem. Chegou Alexandra, amiga da minha irmã e nos cumprimentamos. Vi que minha filha precisava tomar banho e dormir e pedi para as pessoas irem embora. Fecheis casa e senti pouco segura, vi na porta um vão acima só com um vidro. Perguntei paraACKA se era seguro ali e ela assegurou que sim.
Viagens / Lykos

Estava viajando pelo interior do centro-oeste. Fui a uma cidade do interior do MS e estava num bairro de periferia de uma cidade pequena. um homem estava tocando pagode de casa em casa, incomodando os moradores. Ele foi incomodar um traficante, o traficante subiu ao segundo andar de uma casa e na casa da frente, outros dois ajudantes do traficante seguraram o pagodeiro. Falaram que iam matá-lo, atirando na cabeça, mas baixaram as calças dele e falaram que era só pra dar um susto nele. Eu fiquei assustado. Fui embora. Na estrada parei numa espécie de bar de estrada (parecia na verdade uma estalagem), uns caras começaram a dar em cima de mim e eu falei que não podia perder tempo e nem dei bola também. Saí de novo, encontrei uma hospedagem, e custava R$ 327,00 a diária, me falaram isso depois que toda a minha bagagem já tinha subido pra um quarto que era coletivo, supostamente. Disse que não queria gastar tanto e nem tinha dinheiro para isso.
Sono dos anjos / li

Era madrugada e eu estava na sala de um apartamento grande, com tia L, seu marido e filhos, todos dormindo. Eu e minha filha também dormíamos e de repente mais nha filha levantou e foi se debruçar na janela, mas a cama da minha tia ficava abaixo e ela conseguiu segura-lá. Eu e a tia ficamos acordadas e ela me falava que quando sua família dormia, via sinais de seus sonhos, todos interagiam, e assim eu também comecei a ver, eram dele casos Söns, ventos e aromas no ambiente. Ela dizia que o sonhos tinham presença de anjos. Eu toquei num objeto prateado, como um instrumento de sopro e cordas ,da estante, e fez um forte sim de harpa. Pedi desculpas por ter atrapalhado o silêncio do sono.
Casa do terror / li

Estava visitando uma amiga, e sua casa era grande, construída de pedras antigas e com grande jardim. Ela me falava que a casa era estranha, não gostava de viver ali, mesmo tudo sendo tão bonito. Me falou que a peça em anexo, que era seu atelier, tinha uma parte que ela não usava, pois acontecia coisas estranhas. Eu sai e voltei à casa, quando comecei a ver cenas horríveis pelas casa,pessoas sofrendo, fazendo ameaças, falando atrocidades. Eu sabia que eram visões, mas sentia medo. Rezava a oração de exorcismo de Santo Antônio sem parar.
Logo, eu estava em um mercadinho, num prédio antigo da rua Astrogido de Azevedo, fazia as compras e encontrei LDN, manda colega de minha filha. Guardávamos nossas compras embaixo de uma mesa, mas logo as minhas sumiram. Eu separava muitas frutas para comprar.
bobagem do Japão / li

era madrugada e eu estava numa rua de terra batida, com minimercados de bairro. Um antigo conhecido chegou trazendo um amigo que iria para o Japão trazer mercadorias para vender, e eu imediatamente pedi para trazer uma pequena máquina de tirar bolinhas das roupas, e ele disse ser impossível, pois só conhecia onde comprar chás e outros artigos. Logo estava meu antigo colega GCastro, muito bonito e simpático. Conversamos muito e minha mãe veio me mostrar fotos da família Castro, onde sua mãe e irmãs eram todas iguais e os tios também iguais, todos com olhos azuis.
Marido trocado / li

Meu marido estava preocupado, e às vezes ele era Z. Era noite Estava na área dos fundos da casa da minha avó, fechávamos a porta do corredor, mas ele nervoso ficou do lado de fora. Nesse momento ele era Z e no meio de suas coisas encontrei cápsulas pretas, com um número gravado, e vi que parecia um medicamento. Ele me disse que eram drogas que estava usando. Logo me falou que estava com problemas de dinheiro, que só na última noite havia gastado 300 dólares com prostitutas. Eu não sabia o que fazer por meu marido ter se transformado em Z, queria ajudá-lo, mas por ele ter sido a pessoa do meu marido que casei e não a figura de Z.