Drömma

aisling . dream . rêve . sogno . sonho . sueño . traum . śnić
Drömma Dreaming Logger — Coleção de Sonhos — Sonhário
Um segundo / Ranunculus

Meu cabelo longo, denso, que encosta na minha pele, cobre minhas costas
cauliview / cauli

Eu tinha acabado de receber um email de alguém muito querido do intercâmbio, como minha mãe de lá que eu não ouvia falar há anos: um link pra um curta feito na Suécia e muito bem produzido chamado "cauliview".

Ele contava a minha história de intercâmbio lá, eram cenas singelas em cenários lindos, pequenas historinhas num tom intimista que as pessoas que conviveram contaram sobre mim, o porque elas confiavam e mim e me amavam. Na vida real aparentente eu teria sido deportado injustamente. Mas todo mundo sabia que eu não tinha feito nada, porque meus álibis estavam todos ali, eram as próprias cenas. Uma das cenas era todo mundo comendo fora, em uma mesa de madeira escura, e a luz do anoitecer batendo neve no chão deixava tudo azul petróleo, e me perguntavam quanto dinheiro eu tinha ainda, e dps todo mundo riu de mim enquanto continuavam a comer.

O filme terminava com Cauli chegando de carona só com a mãe no carro. Ela morava no deserto nos Estados Unidos, e essa foi a unica vez que ela apareceu. Me deixou meio puto que fizeram Cauli ser americana, mas eu sabia que era sobre mim, então eu chorava mto assistindo o filme por saber o motivo de aquelas pessoas me amarem apesar de todo mundo estar longe.

Lembro de ter visto outras variações do curta (vi só uma, mas existia outra ainda). Supostamente elas nao teriam ganhado o concurso pra fazer esse filme. O segundo filme que eu vi parece que não correspondia tanto à minha estadia por lá, e tinha um tom um pouco menos intimista. Mas era também muito bonito visualmente.

Autoanálise:
(Chorei bastante nesse sonho, não me lembro a última vez que isso aconteceu. Esse sonho explicou para mim o verdadeiro motivo de eu ter chorado tanto ontem ao achar algo que uma ex fez para mim. Aquilo era a materialização da explicação do motivo de ela ter me amado, e isso me fez sentir querido, amado e nostálgico. Me fez voltar num tempo em que quase tudo parecia ser perfeito)
Benção / li

Estava num lugar tipo minha primeira escola, parecia uma festa. Me falaram que havia um benzedor numa sala e eu fui esperar para ele me benzer. Sentei numa mureta evo um dente, Ainda com sangue, e procurei o possível dono. Demorava para o benzedor me chamar e entrei na sala. Ele estava deitado, só de cuecas, era um homem jovem, magro e peludo, estava muito cansado e esgotado de benzer, mas me benzeu. Colocou a mão sobre minha cabeça e benzeu forte.
Atras da porta é sempre arrependimento / Ranunculus

Atras da porta é sempre arrependimento(sonho recorrente) Estou numa casa que aparenta ser "minha", é composta por todas as casas que já morei e diversos espaços vagos que aparentam não terem sido preenchido pela mente, espaços que eram para ser casa mas são disformes. A forma em que chego no quarto é sempre diferente, e o quarto as vezes muda de aparência, certas vezes menor e escuro ou mais iluminado (podem ser ambientes distintos em cada sonho), estou sempre procurando algo desconhecido a mim que não está relacionado ao que está atras da porta, nunca me lembro o porque de abrir, somente é implícito em minha mente "para achar algo, basta procurar" é o suficiente para eu abrir a porta e tentar aliviar minha inquietude. Encontro prateleiras e gaiolas por todo espaço, amontoadas umas sobre as outras, ao ver as gaiolas penso: que gaiolas são essas!? Extremamente impressionada com o estado do ambiente e a capacidade de descobrir algo novo num ambiente tao cotidiano, demora pouco tempo para eu me lembrar... observando uma gaiola, reparo que tem um animal usualmente um hamster ou rato, e as memorias surgem como um soco, o nome deles que nunca me lembro apos acordar, que grito desesperadamente ao perceber que estão todos, muitos, centenas, deixados definhando por mim, muitos mortos e o resto beirando o fim, Minha reação sempre de terror de repudia a mim mesma, espantada em ter esquecido algo que parecia que nunca havia acontecido antes daquele momento... mas o sentimento não mente eu cogito. o contexto do que falo ou como lamento se modifica, o que sai em diante é só arrependimento. Acordo.
/ li

Numa casa com grande varanda e gramado, eu conversava com tia L e outros tios. Logo chegou LEM, numa caminhonete com sua família. Ela cumprimentou a todos, menos a mim, era agressiva, falou que tio O tinha que ir ao banheiro e se explodir. Eu fui para a cozinha.
Cabeleireira / li

Fui cortar o cabelo numa nova cabeleireira e enquanto ela conversava com outras clientes, cortou minha franja. Fiquei furiosa, praguejei e disse que não pagaria, por tamanho erro.
Fui chorar junto de MN, que me consolou e se mostrou um grande amigo.
Dama / li

Estava num casarão estilo palácio antigo, no centro de uma cidade. Criados me chamaram numa ala, e me falaram que ali morou a Leda, e que haviam encontrado uma caixa de fotografias antigas. Eu não acreditava em tantas fotos ali, fiquei meio paralisada de emoção. Me chamaram em outra ala, era um ginásio com uma assembleia de funcionários, alguns meus colegas de tempos atras. Eu acompanhava RA, que era um alto cargo político e lhe orientava sobre questões morais, éticas, culturais, que até eu me surpreendia com a profundidade do que eu via e falava para ele. Percebi que meu sapato tinha salto alto, e me sentia muito elegante.
Logo RA era o novo prefeito de Porto Alegre, e éramos casados em segredo.
nota paralela / gruszka

e hoje, logo após acordar, fiquei com uma palavra em russo que parecia não querer sair da cabeça:

Verb[edit]
увлека́ться • ‎(uvlekátʹsja) impf ‎(perfective увле́чься)

(reflexive) to take an interest in
infância tardia / gruszka

essa noite sonhei que gerenciava uma escola integral para crianças carentes. o espaço funcionava de tal maneira que, após as atividades curriculares obrigatórias, as crianças poderiam decidir entre ir para casa ou continuar lá. grande parte delas não tinha para onde ir, de qualquer forma, e entre elas, estava um homem de quarenta anos. alguns de meus amigos ajudavam a tocar o lugar, dando aulas de português, promovendo oficinas, etc. neste dia, a banda de amigos fez uma pequena apresentação para as crianças que tinham escolhido ficar (e entre elas, ainda, o homem de quarenta anos), e embora elas tenham parecido entusiasmadas com a ideia de assistir a um primeiro show, havia um garoto em especial que não parava de distrair os outros com vídeos (pornográficos) no seu celular.
Papai Noel / li

Era natal e eu estava em Curitiba na casa do meu tio. Tudo estava sujo e velho e percebi que ele havia feito um puxadinho, seria sua sacada, no 9 andar. Meu marido entrou e viu que tudo era de vidro, eu senti medo. Meu tio falou que o apartamento tinha um alto pé direito. Meu tio falava com seu filho mais novo. Logo eu estava numa casa grande , de uma turma, seria um natal alternativo. PH chegou vestido de papai Noel e entrou de um jeito lindo e poético, com uma música linda de fundo. Ele distribuiu os presentes que comprei para minha filha, e achei pouco só dois presentes para ela.