Drömma

aisling . dream . rêve . sogno . sonho . sueño . traum . śnić
Drömma Dreaming Logger — Coleção de Sonhos — Sonhário
Um não-encontro / VanMichelis

Um não-encontroEstávamos em uma vila na praia, algo do tipo. Não me lembro ao certo o caráter desse nosso encontro. Havia uma sensação de férias, algo finito mas tranquilo. Nenhuma de nós estava em "casa". Mais cedo achei um chapéu de soldadinho de chumbo tamanho real e vesti. Vc achou lindo. Fui dormir uma hora e achei um dildo ao lado da cama, no chão. Era do meu tamanho. Fiquei feliz, quis te perguntar se era seu, se vc tinha comprado pra mim, mas não tive coragem. Estávamos muito distantes.
ser sapatão emociona Ney Matogrosso / mikael

Sonhei que tava numa sala de estar com o Ney Matogrosso. Eu tava falando umas coisas sobre esse existir no mundo como pessoa-sapatão. Meu sotaque todo tinha voltado muito. Ele me ouvia emocionado, rindo e me abraçava. Tinha mais gente ouvindo e compartilhando o momento, era um clima de amizades.
Praia de Japonês / Churrasquinho dos traficantes / Intimidando um policial / Hannap

Sonhei que eu tinha um trabalho pra fazer, da Rio 2016.
Eu ia visitar a Jéssica e o Gustavão pra fazer o trabalho na casa deles.
A casa deles era no alto de uma ladeira, perto de uma favela (igual à minha casa no Rio).
Eu levei meu computador lá, toquei na campainha e não tinha ninguém.
Desci um pouco a ladeira até um churrasquinho e comi um.
O churrasquinho era dos traficantes donos do morro.
Aí eu comecei a ajudar eles a fazer o churrasquinho.
Teve que mudar a churrasqueira de lugar e eu ajudei e virei amigo dos traficantes.
De repente chegaram dois policiais e pediram um churrasquinho.
Eu preparei pra eles e eles subiram pra favela.
Os traficantes disseram: Pode trabalhar aqui não tem problema. Ao lado da churrasqueira.
Mas eu não conseguia trabalhar ali, ficava muito disperso. Aí eu disse: - Não consigo - e peguei meu computador e subi a ladeira pra tocar novamente a campainha da casa da Jéssica.
Fiquei esperando na estrada do prédio e de repente aqueles mesmos policiais desceram e me viram.
Um deles veio me enquadrar, pediu documento e me pediu um dinheiro pro churrasquinho.
Aí eu falei: - Pô meu irmão, tu tem coragem de me pedir isso? Eu te dei um churrasquinho antes. Eu que preparei teu churrasquinho.
Comecei a falar alto com ele e o policial ficou com vergonha e foi indo embora.
Eu fiquei puto com ele e fui descendo atrás, xingando ele. Me senti bem.

Aí veio a Roberta Gamboa subindo de carro e me viu.
Aí eu fui pra casa dela. Tava o Bernardo também.

Depois eu subi o morro de bicicleta, com a Lara na garupa.
Era o topo da montanha e tinha mar dos dois lados.
A gente andava de bike por uma estreita faixa de areia no meio dos dois mares.
Era muito bonito. Perguntei se a Lara estava gostando e ela disse que sim, sem muita empolgação.
Ela disse que parecia praia de japonês.
Abertura das Olimpíadas / dmtr

Sonhei que assistia a abertura das olimpíadas na TV. era algo que tinha a participação do público, uma enorme platéia. Começava com um corredor correndo com a tocha e logo depois o segundo bloco ele passaria pra uma mulher. lembrava o comercial da Apple 1984, e uma corrida de revezamento.
Quando ele vai passar o bastão explode como uma bomba, o atleta fica totalmente dilacerado. As pessoas próximas estavam horrorizadas, os policiais ficavam sem ação, não sabiam pra onde ir, as câmeras filmavam pra qualquer lado, não sabendo o que mostrar / ocultar.
Lembrava um pouco o filme do assassinato do JFK.
Depois de uns 30 segundos vinha uma voz no megafone falando coisas em código, lembrava o video do desastre da Challanger onde o narrador continua falando depois da explosão. A voz tentava também controlar a população fugindo pra não acontecer tumulto e pisoteamento.
bafomé? / mikael

bafomé?sonhei que fazia amor com alguém
alguém que eu não sei quem é
e que tinha peito e pau

quando acordei vi que se associava à figura de bafomé
Pessoas do passado / li

Era noite e eu estava numa apartamento em outra cidade, parecia um lugar de veraneio.
XY chegou, deitou no meu colo e disse sentir saudades. Tentou me beijar e eu falei que agora não era mais tempo para nós, tinha família e não tinha mais vontade de novos relacionamentos. Ele insistia, deitou na mesa e me beijou à força, e logo entru sua esposa, uma pessoa muito querida e legal. Ela não percebeu nada do beijo forçado.
Saí correndo e encontrei a Mardilê, amiga da minha mãe, caminhando pela rua. Ela me convidou para conhecer seu apartamento. Entramos no prédio, e uma escadaria muito íngreme para subir me assustou. Quando entramos, o apartamento era imenso e lindo. Tinha vista bonita para todos os ângulos da cidade.
Dourados em Barcelona - Mossos d'Esquadra - Sonho dentro do sonho / Hannap

Sonhei a continuação de um sonho que já tinha tido.

Eu e Lara havíamos ido morar em Barcelona de repente, sem avisar ninguém.
Estávamos dividindo um apartamento com mais gente e o pessoal de lá estava arrumando os móveis. Eu me meti e comecei a mudar as coisas de lugar. Um dos meninos do apartamento gostou das minhas idéias.

Depois eu e Lara abrimos o computador e começamos a olhar fotos de uma viagem que havíamos feito à Barcelona no ano anterior (janela para o outro sonho).
Encontramos aleatoriamente uma sequência de fotos bonitas, com pessoas vestidas de dourado num fundo de parede de pedra. Era uma peça de rua que havíamos visto e achado bonito, um ano antes. As fotos em sequência mostravam o princípio de uma confusão. As imagens eram bonitas, pessoas vestidas de dourado com sombras no lugar das cabeças e uma luz de fogo perto delas. Achamos bonito.
Saímos de casa para dar um passeio na cidade. De repente passamos por um lugar onde estava acontecendo uma espécie de performance de dança e atuação. Várias mulheres e homens bonitos, todos vestidos de dourado com transparências, fazendo movimentos sensuais. Era um lugar aberto e a Lara ficou afim de entrar na performance, pois ela também estava de dourado.
Eu fiquei olhando da entrada do lugar e também fiz uma participação na dança (mesmo estando vestido de marrom). Era algo bem louco e lascivo.

De repente os Mossos d’Esquadra vem surgindo num carro, violentos, jogando bombas na população. Eles vêm na direção de onde estamos. Nesse momento eu lembro das fotos que vimos antes e me dou conta que aquela luz bonita de fogo vem das bombas que eles irão jogar ali. Pego a Lara e conseguimos sair dali no exato momento em que eles chegam no lugar. As pessoas ficam encurraladas e eles começam a jogar bombas de fogo, queimando todo mundo. As imagens são as mesmas daquelas fotos bonitas que fizemos um ano antes. O dourado reluz com a luz do fogo das bombas e as pessoas gritam desesperadas.

De alguma maneira havíamos voltado no tempo e vivemos a mesma situação de maneira diferente. Na primeira vez fizemos fotos bonitas sem entender direito a violência que havia acontecido. Nessa segunda vez estávamos dentro da cena e conseguimos escapar antes da barbárie começar. Saímos caminhando, assustados e aliviados pela cidade de Barcelona.
/ SL

X pediu para lavar meu cabelo. Contrariada, aceitei. Quando terminou, vi que estava cheio de shampoo. Reclamei e X mandou eu tirar soZinha.
escarificação / mikael

escarificaçãovi uma mulher com uma escarificação no centro do peito, no mesmo lugar em mim onde existe essa dor dilacerante
percursos noturnos / mikael


sonhei que estava indo embora sozinha do centro, era noite.
entrava numa rua e ia começar a seguir, quando me dei conta de que um velho mendigo me seguia. ele parecia um chinês, meio sujo, esfarrapado. eu não sabia se ele tava me protegendo ou se tava me perseguindo. mudava de rua pra tentar pegar um taxi. não sabia se o dinheiro que eu tinha comigo ia dar pra pagar a corrida, mas achava que sim


também sonhei que caminhava na praia à noite, na areia. o mar tava de ressaca e tava puxando, havia muita força.
tinha duas pessoas conhecidas conversando, acho que era marina e mais alguém. chegava um casal hetero, cis com uma bebida de cor escura e oferecia pra gente. eu nao aceitava, a ressaca do mar que nos atravessava estava muito forte e eu dizia: preciso ir pra casa.
seguia sozinha