Drömma

aisling . dream . rêve . sogno . sonho . sueño . traum . śnić
Drömma Dreaming Logger — Coleção de Sonhos — Sonhário
Casa do terror / li

Estava visitando uma amiga, e sua casa era grande, construída de pedras antigas e com grande jardim. Ela me falava que a casa era estranha, não gostava de viver ali, mesmo tudo sendo tão bonito. Me falou que a peça em anexo, que era seu atelier, tinha uma parte que ela não usava, pois acontecia coisas estranhas. Eu sai e voltei à casa, quando comecei a ver cenas horríveis pelas casa,pessoas sofrendo, fazendo ameaças, falando atrocidades. Eu sabia que eram visões, mas sentia medo. Rezava a oração de exorcismo de Santo Antônio sem parar.
Logo, eu estava em um mercadinho, num prédio antigo da rua Astrogido de Azevedo, fazia as compras e encontrei LDN, manda colega de minha filha. Guardávamos nossas compras embaixo de uma mesa, mas logo as minhas sumiram. Eu separava muitas frutas para comprar.
bobagem do Japão / li

era madrugada e eu estava numa rua de terra batida, com minimercados de bairro. Um antigo conhecido chegou trazendo um amigo que iria para o Japão trazer mercadorias para vender, e eu imediatamente pedi para trazer uma pequena máquina de tirar bolinhas das roupas, e ele disse ser impossível, pois só conhecia onde comprar chás e outros artigos. Logo estava meu antigo colega GCastro, muito bonito e simpático. Conversamos muito e minha mãe veio me mostrar fotos da família Castro, onde sua mãe e irmãs eram todas iguais e os tios também iguais, todos com olhos azuis.
Marido trocado / li

Meu marido estava preocupado, e às vezes ele era Z. Era noite Estava na área dos fundos da casa da minha avó, fechávamos a porta do corredor, mas ele nervoso ficou do lado de fora. Nesse momento ele era Z e no meio de suas coisas encontrei cápsulas pretas, com um número gravado, e vi que parecia um medicamento. Ele me disse que eram drogas que estava usando. Logo me falou que estava com problemas de dinheiro, que só na última noite havia gastado 300 dólares com prostitutas. Eu não sabia o que fazer por meu marido ter se transformado em Z, queria ajudá-lo, mas por ele ter sido a pessoa do meu marido que casei e não a figura de Z.
/ gruszka

o sonho de hoje foi uma continuação da noite passada, mas nele caminhávamos abraçados conversando pelo bairro de madrugada. você me fazia perguntas que eu não conseguia responder e eu sequer prestava atenção, a única coisa que importava era o conforto dos seus braços.
Surpresas / li

Era noite e eu caminhava na rua do Acampamento, emSanta Maria. De repente 3 pessoas usando cabeças de boneco enormes vieram correndo, um me puxou e me pegou pelas pernas e me arrastou pela rua e me largou. Senti medo e que poderia ter morrido.
Segui e encontrei o bar do GNM e entrei. Ali todos comentavam que ele havia descoberto sua verdadeira mãe. Logo a mãe dele chegou e era uma mulher negra, muito diferente dele. Ela falou que o pai de GNM teve um relacionamento com ela é certa vez a polícia levou-o atras dela, em Itu, mas ela havia se mudado para a Bahia. Falei para ela que eu gostava e queria GNM muito bem.
O abraço / Sonhadora Dandara

O abraçoEu te abraçava mas eras
um assobio
Assombrações / li

Era um dia de verão, à tardinha, e eu estava numa casa grande e elegante, na Avenida Presidente Vargas, em Santa Maria,era casa da minha prima LCV e ela recebia convidados. Chamei a prima CVS para chegar. Logo, a casa já era de VS e CVS chegou, falava alto e seu estilo era diferente da recepção elegante dali. Mas VS ficou cativado por ela, e logo vi que ele fez um vídeo institucional que citava CVS como pessoa com grande energia e a relacionava com algo de budismo.
Fomos ajudar profissionais de uma escola ao lado a colocar uma extensão de luz. O fio passava por cima de prédios e entre casas, e eu e CVS o puxavamos e levava para onde uma coordenadora orientava. Acabamos entrando em uma casa abandonada, mas ainda mobiliada e cheia de entulhos. Dizia que a casa havia sido comprada pelo vizinho e logo a reformaria. Eu comecei a ver coisas sobrenaturais, como a aura de um adulto e uma criança, projetada numa parede branca. Logo CVS entrou num escritório abarrotado de livros velhos e encontrou um senhor, que com sotaque, dizia que queria se comunicar em inglês. Senti medo e comecei a recitar uma pequena oração de exorcismo ensinada por Santo Antonio.
Casas e Anjo da guarda / li

Estava em Poa num apartamento da minha prima KVS, enquanto ela e o marido viajavam. Saí e encontrei AA e nos apaixonamos instantaneamente. Fomos para o apartamento e conversávamos muito, riamos, nos beijávamos e tomávamos banho juntos, mas sem sexo. Minha prima chegaria logo e fui comprar passagens para voltar à SM, na volta, caminhávamos pelas imediações da rua Protasio Alves com Vicente da Fontoura e encontrei ruínas de um castelo medieval. Resolvi voltar de carro e AA foi a pé. Nós perdemos e não nos encontramos mais.
No meu apartamento, tocaram a campainha, ao olhar no olho mágico, vi que era um menininho com pele moreninha, meio indiozinho e eu e minha mãe sentimos medo e perguntávamos quem era. Ele sumiu e descobrimos que ele era um anjo da guarda.

Festa de Aniversário / li

Era a festa de aniversário da minha filha, comemorava num salão de festas pela rua Silva Jardim e Parque Itaimbé, em Santa Maria. Chegavam os convidados e eu percebi que não tinha muitas bebidas, as que tinham não estavam geladas. Comecei a procurar, fui na cristaleira da minha avó e peguei umas bebidas. Levei-as só salão e vi que não tinha copos. No salão já estava a família da prima DRM e em outra mesa o Finado IGV, e senti muito felizes s dele ter ido a festa. Sai correndo para procurar copos.
Cemitérios / li

Estava numa cidade diferente, tinha montanhas e natureza no meio da região central. Logo eu estava com a prima LCV, e outros parentes chegavam. Encontrei a ex esposa do meu tio, DCS, e ~iamos ir aovelorio do irmão dela,mesmo que ele já havia morrido há muitos anos atrás. Amanheceu e vi minha prima e tia voltando do velório, e eu não havia sido informada do horário. Fiquei triste e chorava dizendo que era sempre assim, minha mae nunca me avisava de nada e eu passava por situações constrangedoras, que havia acontecido o mesmo com a morte da irmã de JSS.
Depois eu caminhava ou lembrava de um cemitério muito antigo e aterrorizante.