Drömma

aisling . dream . rêve . sogno . sonho . sueño . traum . śnić
Drömma Dreaming Logger — Coleção de Sonhos — Sonhário
3 na cama / li

Estava com T e XP numa casa nova que algum de nós moraria. Caminhávamos e ríamos, felizes na noite. T falou para entrarmos na casa de sua avó, que era muito grande e luxuosa, havia piscina dentro de casa, quartos com decoração estilizada e requintada. De repente, eu acordei junto dos dois, e vi que estava com esperma no meu corpo, e não sabia de quem era, já que os dois também haviam transado. Sentia sozinha e perdida na noite, mas feliz por eles estarem perto.
Sonhos passados / Gaya

Tudo começou em um tempo de rei e rainhas,e eu no sonho era apenas uma camponesa. Vivia em um celeiro abaixo do reino e não tinha família, eu cuidava dos cavalos para o Rei. Eu vivia trabalhando bastante, cuidando do feno e dos cavalos com muito amor, e nas noites eu saia para beber em um barzinho velho e fedido cheio de ratos, mas qual me confortava diante a minha solidão, nessa noite de volta para casa fui perseguida por um homem, do qual não podia ver sua face, confesso que fiquei com muito medo, porém me senti forte com a presença de minha adaga em minha cintura. Em questão de segundos ele sumiu diante a escuridão noturna, arranquei com meu cavalo pois as 5:00 eu tinha trabalho. No dia seguinte eu estava trabalhando e vi a princesa escondida atrás do feno no celeiro, achei curioso e fiquei encantada com tamanha beleza, o Rei me clamava me perguntando se
Vi a princesa?? E eu por via das dúvidas disse que não sabia! O Rei mandou cavalheiros para fora do reino. Foi quando tudo começou de verdade em minha vida monótona e solitária, a princesa me agradeceu e me convidou para dar uma volta com ela, eu assustada com a situação e com medo do rei descobrir a minha mentira, aceitei (pensei que quanto está na merda é melhor abraçar o capeta ). Fomos a uma cachoeira em um vale que parecia mágico, como em conto de fadas tiramos as roupas e nadamos sobre a imensa cachoeira, nesse dia nos conhecemos muito, e descubrimos o qual similares éramos. Neste dia ganhei uma grande amiga ou talvez um grande amor. A noite fomos ao meu bar favorito e ficamos super bebadas e acabamos nos beijando, no momento as duas ficaram surpresas pois era uma novidade para mim e para ela também!! Voltando com nossos cavalos, sabíamos que não poderíamos voltar para casa, então resolvemos ir para a floresta. A noite na floresta e sombria e escura, mas não sabíamos que havia a presença de seres místicos, acordamos com homens incrivelmente lindos ao nosso redor, e nós duas estávamos curiosas diante a situação, nós oferecerão uma fruta da qual nos faz a desejar algo de mais profano..: e eu me deitei com um dos caras junto com a princesa e tivemos uma sensação da qual era inexplicável, acordamos no dia seguinte e não sabíamos se era um sonho. Buscamos frutas das árvores e fomos nadar na cachoeira, ao tirar nossas roupas começamos a observar uma a outra, até que percebi que a tocava e sentia algo intensamente inexplicável com seu toque e beijo, como em meu sonho. Lhe juro que pedia para que não fosse mais um sonho, e não era. Sabíamos que se o Rei soubesse eu estaria morta, e já imaginava que ele sentia minha ausência com seus cavalos. Mas o sentimento era inexplicável, quando dei a mão a princesa cai das nuvens, e acordei em um mundo diferente que não era o meu, como a atualidade humana e sonhei coisas distintas, mais seu rosto aparecia em meu sonho, mesmo em outra dimensão de sonho.
Operado pelo Papa Francisco / Hannap

Eu estava numa convenção em um ginásio, onde o Papa se apresentava. A apresentação dele era incrível, ele fazia magia, voava, se transformava no Papa Ratzinger, depois em mulher e depois voltava a ser o Papa Francisco.
Eu estava sentado na primeira fileira e estava com um problema no intestino, no lado esquerdo.
O papa veio e fez uma cirurgia em mim. Abriu e tirou um pedaço do meu intestino.
Foi tudo muito rápido e bem feito.
Depois de um dia eu estava caminhando com o Dimitre e fui em uma escola onde eu e a Lara fazíamos ioga. Chegando lá eles tinham pintado o mural com a minha cara e a da Lara. Fazia um ano que nós havíamos nos inscrito na ioga. Eles pintaram o nosso retrato e escreveram: Parabéns! Um ano de vida! Eu achei aquilo muito inusitado e engraçado e resolvi fazer umas fotos para mandar pra Lara (em poucos dias seria o aniversário real dela). Me deitei no chão para conseguir um ângulo bom pra foto. Foi quando me deu uma pontada lancinante na barriga, bem no lugar da cirurgia. Comecei a chorar de dor. O Dimitre, o Antonio e a Ju estavam lá e eu contei pra eles da cirurgia. Chorei bastante e me dei conta de que eu ainda estava em recuperação. Não deveria ter feito esforço abdominal.
Nu inconveniente / li

Estava em Porto Alegre no meu antigo apartamento e um elevador estava com problemas. Logo estava com M no Brasil. Ele dormia nu no meu lado, mas eu não queria ele ali, esperava ele ir embora. Era a casa da minha avó e deixei-o dormindo e sai. Era dia de sol e caminhei. Quando cheguei em casa , minha prima LM estava chegando e a recebi, pois era a casa da minha avó. Tentei fazer ela ir embora, pq além de inconveniente, não queria q soubesse de M. Entrei na casa, fui no refeitório e vi a porta dos fundos aberta, e pensei q minha avó e tio O, q haviamviajado, tivessem esquecido assim. Logo chegou meu primo e filhos com amigos, e eu corri para-o quarto para segurar M, ele estava acordado na cama. Sai e fui organizar as coisas, recebi um telefonema e eu falava muitas coisas, mas de repente fiquei preocupada pq havia esquecido com quem eu falava. Chegou amigos e diziam que M tinha jogado uma corda pela janela e saiu nu na rua, diziam que sua situação financeira era péssima. Caminhei num jardim lindo com uma moça que disse que era bom que eu não tinha filhos com ele.
Seita / Lua

Sonhei que saia de um shopping pela rua de trás e como eu não estava habituada com aquele caminho, acabava me perdendo. Um homem muito estranho aparecia e dizia que se eu cortasse caminho pela casa que estava mais a frente, eu sairia na rua principal.
Eu o segui e então subimos uma escada muito velha que estava na calçada e dava direto na entrada da casa. O homem desapareceu e eu fiquei sozinha tentando achar a saída daquela casa sinistra.

Andei pelos corredores e então avistei um grupo de homens reunidos em volta de alguma coisa no escuro, me assustei mas logo percebi que eles estavam imóveis como bonecos. Todos tinham expressões fortes no rosto e usavam túnicas. Cheguei mais perto e vi que estavam em volta de mulheres nuas, que pelas expressões pareciam assustadas.

A situação era muito perturbadora e eu corri tentando achar a saída, mas as mulheres que estavam ali "despertaram" e foram atrás de mim, elas me puxaram e me levaram pra frente dos homens, (que também haviam despertado) tiraram minha roupa, me colocaram de joelhos no chão e acorrentaram meus pulsos e tornozelos.

O homem mais importante falou pra eu ficar mexendo a língua fora da boca que ele a ia cortar com uma faca pequena e fina que estava segurando. Eu obedeci mas estava apavorada imaginando a dor que sentiria e como seria viver sem língua, mas me coloquei pra pensar em como aquela situação era improvável, então me dei conta de que era apenas um sonho ruim e me tirei de lá pra acordar.
Espectatorialidade / Lua

Sonhei com a descoberta de uma magia rara e muito poderosa, provavelmente porque o Diogo me explicou sobre a palavra "Espectatorialidade" ontem e eu a achei parecida com um feitiço de filme.
M no aeroporto / Lua

Sonhei que acompanhava M até o aeroporto de Guarulhos para ela ir embora porque estava se sentindo triste, e mesmo eu não a conhecendo direito achei que seria válido não a deixar sozinha.

Estávamos no terminal 3 e ela tinha que ir para o 2 por ser um voo nacional e quando ela ia se despedir, me olhou com os olhos cheios de lágrimas e me abraçou. Passei as mãos nos cabelos dela e pensei em como aquilo soava familiar.
Eu tirei alguns fios de seus cabelos que estavam grudados em suas bochechas por conta das lágrimas, eles eram lisos e grossos.

Ela parecia muito indefesa e eu quase pedi para ficar comigo em casa por um tempo. No começo do sonho, eu tinha a sensação de que ela estava triste por simplesmente não querer ir embora, depois, a sensação que ficou, era que de ela tinha se apegado a mim naquele momento e não queria me deixar.

Ela me abraçava forte e agradecia o cuidado enquanto chorava baixinho.
Mansão assombrada / Lua

Sonhei que estava numa mansão antiga e acabava indo parar no subsolo, que era cheio de cômodos bem grandes. As paredes eram de pedra, haviam correntes e grades por todos os lados e até uma espécie de córrego que passava entre as salas pelo chão.
Era de madrugada e eu via estátuas de guerreiros criando vida e tentando me acertar com espadas, mas eu mergulhava no córrego e passava por debaixo de uma grade pra fugir pra outra sala.
Nessa outra sala, eu encontrava um pacotinho de lentes verdes e uma vasilha de soro do lado. Era uma lente bem grossa, eu molhava ela no soro e colocava no olho direito. Quando me olhava no espelho, via que eu já usava uma outra lente no olho esquerdo, mas era da cor dos meus olhos. Eu a tirava e percebia que usei lentes a vida toda sem saber, mas também não colocava a lente verde nesse olho.

Indo pra outra sala, eu via algumas aparições bem sinistras e tentava desviar ao máximo a atenção delas, até chegar em um corredor com muitas portas grandes e pesadas. Uma porta se abriu lentamente e quando eu entrei, não conseguia mais sair. Apareceu um homem e uma mulher, nus e chorando. O homem devia ter uns 60 anos e a mulher uns 30. Era como se essa mansão abrigasse os espíritos de pessoas ruins ou das que sofreram algum abuso aí.

Eu subia em cima da mesa desesperada pra tentar fugir do homem que vinha em minha direção, mas ele agarrava minhas pernas, dizia que ia me estuprar e fazer várias outras coisas bem nojentas. Eu me pendurava em correntes que estavam no teto e tentava ir pra longe dele, mas a mulher me segurava e começava a me bater com uma corrente de ferro. Ela tinha olhos verdes e uma maquiagem preta borrada por conta das lágrimas. Eu pedia que ela parasse de me bater, dizia algumas coisas sobre feminismo que a tocavam e então ela parava de chorar e me deixava ir embora em paz.
Unusual affection / Lua

Sonhei que estava passando por uma rua e de longe avistava S. Quando eu chegava perto, S me cumprimentava e eu ficava muito contente com isso, ao mesmo tempo que parecia que algo pesado tinha saído de minhas costas.
Acabamos firmando uma amizade cheia de afeto e proteção quase que no mesmo instante.
Sentamos em uma arquibancada pra observar umas máquinas operando e S fazia carinho em mim enquanto eu perguntava preocupada se S estava com fome, então abrimos um pacote de Doritos pra comer.
Uma das máquinas pegou S com um gancho e levou pra dentro das coisas que estavam construindo, que logo percebi que era tipo um jogo de tabuleiro gigante. Isso me deixava muito perturbada e me fazia ir correndo tentar salvar S.
Quando conseguimos nos encontrar de novo, ganhei abraços. S pegou em minha mão enquanto tentávamos achar o caminho da saída. L
Laser Dream / Dmtr

Sonhei que estava trabalhando em uma cenografia de festa, era um projeto muito suntuoso, com equipamento e orçamentos exuberantes, mas era encomendado pra uma festa privada de um ricaço talvez até meio mafioso, pois ia pagar todo mundo na hora, em um cheque diferente escrito com uma tinta verde.

haviamos que entrar um de cada vez na sala pra receber e eles escreveram meu nome errado no cheque, algo como laser dream no lugar do nome.
ja era fim da festa quando chegava a Agus e mais algumas gurias. A Agus estava feliz, bebada, com o cabelo platinado e um vestido verde. um pouco mais gordinha que na vida real e muito divertida.
Havia feito uma tatuagem em cima do esterno, era um bonequinho feito de palitinhos, era um desenho muito sintético mas bonito, um boneco andando de bicicleta e havia algo mais como uma pipa. era muito inusitado mas ao mesmo tempo combinava muito bem com ela.

conversava um pouco mas estava preocupado em desmontar, receber o cheque, todo mundo indo embora, e toda a equipe tecnica se apertando num microonibus no meio de malas de viagem (meio bolsas esportivas coloridas) e alguns indo pra um caminhão boiadeiro.