Drömma

aisling . dream . rêve . sogno . sonho . sueño . traum . śnić
Drömma Dreaming Logger — Coleção de Sonhos — Sonhário
Termas / li

CA me falava para irmos conhecer Marcelino Ramos e suas águas termais. Íamos de carro e a estrada era horrível, precária com muitos buracos. Eu via um trem ao lado e CA disse q ir de trem era pior, pois tinha curvas, descidas acentuadas e era velho. Chegamos acidade e fomos na praça, onde entrávamos numa espécie de lancheria que mostrava que no subterrâneo havia piscinas termais temáticas. Queria entrar, mas não tinha levado biquíni. Era domingo e fui procurar uma loja aberta para comprar biquínis e me venderam biquínis de papel. Sai da loja e vi prédios antigos e lindos, um tinha uma bola de pedras brilhantes no alto de uma cúpula.
beijo de tchau / apta

tava numa sala com muitas pessoas conhecidas, próximas, objetos também muito conhecidos eu estava chorando bastante, falando obrigada para cada pessoa e objeto e beijando eles como se eu estivesse me despedindo.
aphex twin anão / apta

sonhei que tava numa festa enorme, um galpão, muitos conhecidos e desconhecidos do nada o Aphex Twin aparecia e ele era anão, devia medir 1,30 por aí eu ficava muito chocada e meio frustrada que ele era tão pequeno.
6.971 / li

Minha amiga CSP ia se mudar, eu via sua rua muito com verde e praça é algo com nome de Rui Barbosa. Logo, eu, ela, e nossos colegas ECS, CA e AW descíamos de um Ônibus e CSP escreveu num quadro negro o seu salário, Que era de 6.971.
parentes ou não / li

Eu tinha um relacionamento ou convívio muito próximo com ASG, não sei se éramos irmãos ou namorados, mas de repente ficávamos distantes e desconhecidos e ele me falava que havia feito pesquisas genealógicas e descoberto que tínhamos um ancestral em comum, chamado Bezerra de Menezes.
Solidão absoluta / li

de 29/03:
eu morava sozinha no meu antigo apartamento de Porto Alegre e sentia-me a pessoa mais triste do mundo, que tudo tinha acabado, sem amigos, sem família, sem trabalho. Só era eu e o apartamento, e pensei que pior não poderia acontecer mais. Saí no corredor para levar o lixo e vi vizinhos que deixavam a porta aberta e jantavam, senti feliz, parecia amistoso. Entrei no meu apartamento, sem nada para fazer, a não ser deixar o tempo passar e talvez olhar pela janela. Deitei no quarto e a campainha tocou. Estranhei pq ninguém me visitava. Atendi e era SVF que vinha me visitar. Ela se dizia muito sozinha e triste e que as pessoas tinham que se procurar e se ajudar. Não tínhamos muito o que conversar, mas queríamos nos ajudar. Pensei que era uma boa surpresa, e que algo acontecia e poderia mudar.
Encontros / li

Era noite e eu estava num apartamento emprestado, onde morava uma senhora. O apartamento ficava num prédio azul, meio antiguinho, na rua Pinheiro Machado em SM. Alguém falou que a prima ALM havia comprado um apartamento no prédio novo da rua Benjamin Constant. I apartamento que eu estava hospedada era bom, bem grande e arejado. Logo chegou OPB e duas moças estudantes que moravam ali. OPB namorava uma delas é me falava que tinha construído o guarda-roupas delas. Logo saímos de carro, para um festival de teatro e a cidade parecia Roma e Veneza.
Namorado jovem / li

Eu encontrei MDV e fomos tomar um café perto da agência central dos correios de Santa Maria, que tinha um café com boa comida e atmosfera para conversar. Ele me contou que tinha um namorado, que estavam meio brigados. Logo o jovem chegou e o levou para conversar. Eu fui caminhar na rua e ao voltar para o café, já tinha fechado e havia apenas uma lojinha da minha costureira,,que vendia uns sanduich s simples de pãozinho com mortadela. Logo veio MDV e caminhamos por um parque ali. Perguntei a idade do namorado e ele disse 23, e achei muito jovem e disse ele precisava de um namorado mais velho e maduro. O namorado chegou enciumado e começamos a tirar fotos. Era um dia de outono com folhas amarelas no chão e as fotos ficavam bonitas.
Encontros antigos / li

Estava em Porto Alegre, hospedada no hotel Everest. Descia o viaduto da Borges e nas escadarias me falaram que era o local que CBS ficava. Passei várias vezes e o encotrei com sua nova esposa, a filha mais velha e uma bebê, que se chamavam Manuela e Emanuele. Nos encontramos à noite, no restaurante do meu hotel, e apresentei-o para minha filha como meu antigo amigo. Entramos num apartamento de amigos e GD estava lá, dizia que agora teria muito assunto comigo, por causa da sua graduaçáo em letras, mas logo mudou e ficou fechado comigo.
Com Os Trapalhões / li

Estava na casa da minha avó, era madrugada e os Trapalhões chegaram lá. Fomos fazer uma brincadeira, que era o Mussum ir atrás dos outros. Dedé, Didi e Zacarias saíram correndo pelo pátio e escorregaram caindo. Vi que Zacarias havia caído feio. Mussum me chamou ali na varanda,sentou e veio me falar que o coleguinha da minha filha, AJS , falava que ia”pegar e lacrar minha filha”.