Drömma

aisling . dream . rêve . sogno . sonho . sueño . traum . śnić
Drömma Dreaming Logger — Coleção de Sonhos — Sonhário
/ li

Estava em um quarto de uma casa, no centro de Taquari. Era noite e fui dormir. Meu quarto tinha grandes janelas de vidro que davam diretamente para a calçada. Me sentia com a privacidade invadida, pq dormiria com a luz do abajur ligada.
Fui no quarto ao lado e ao retornar, vi um menino ladrão ali dentro. Senti medo.
Organização / li

Meu marido me levou para um encontro de uma organização que estava participando. Consistia em um jantar em local desconhecido, os membros da organização saíam para uma tarde num país desconhecido e as esposas eram levadas para fazer compras, também em um país diferente. Eu fui para Israel e meu marido passava a tarde na Romênia.
Ao fim da tarde voltávamos ao salão do encontro, para um jantar, e via vários conhecidos, que pertenciam a organização.
No salão havia uma criatura de pedras, tipo o "Coisa", que era o lider. Eu não sabia se era ruim.
Ele convidava para "entrarmos numa parede, que aparentemente era normal, mas as pessoas poderiam atravessa-la, diziam que parecia uma parede de fogo e ali havia algo como um portal para outro lugar. Senti medo de entrar na parede.
Logo mais víamos pela janela um hotel, ladeira abaixo, na beira do mar, parecia algum lugar como a Suiça, mas a beira mar. Me falaram que o nome do Hotel era "hotel Romântico", e que algumas vezes saia uma fumaça preta das chaminés, que era vazamento de gás, e morriam pessoas lá dentro.
De repente a fumaça preta apareceu e meu marido foi salvar as pessoas, fazia massagens cardíacas nos corpos que eram retirados.
queria que ele saísse daquele lugar, sentia medo de explosão ou intoxicação.
Deprimente / li

Estava em Porto Alegre, no bairro Moinhos de Vento, ia num hotel encontrar com meu amante, o Xicão Toffani. Nosso caso era secreto. No saguão do hotel algumas socialites conversavam comigo, sabiam do nosso caso, mas eram discretas.
Depois de tórrida noite juntos, saí pela manhã e fui numa farmácia comprar cosméticos caríssimos, após fui num café encontrar meu marido, que era o Stenio Garcia.
Isis Rihanna e orquestra marginal / Avê

Isis Rihanna e orquestra marginalEu subia uma rua com um amigo e vi alguns moradores de rua com instumentos gigantes que eles mesmo tinham construído com lixo e coisas hackeadas. Eles faziam um som experimental, achei aquilo incrível e quis tirar uma foto, peguei minha câmera na bolsa e tive a impressão que caíram algumas coisas no chão. Quando me abaixei pra pegar o que tinha caído ví muitas contas de miçanga e pedras ametista no chão, uma mulher abaixada alí olhou pra mim e disse "alliiiiii...... ne" e eu que sabia que não conhecia ela disse pra ela que ela estava treinada na advinhação e que era uma boa bruxa pois advinhou meu nome. Depois disso, vi que minhas coisas estavam todas na bolsa e eu não havia derrubado nada. Levantei e vi a Rihanna. Ela estava linda e sensual, fiquei muito feliz de ver ela e pedi pra tirar uma foto. Ela pegou minha câmera analógica e tirou uma selfie comigo dando beijo triplo com seu duplo. Dei um beijo triplo com a Rihanna duplicada e me senti muito feliz e emocionada. Depois disso passei a acreditar que me comunico com Isis pela figura simbólica dela.
taxis / li

fui numa festa de aniversário, chegando lá, vi que era de FP. o local era um salão de festas no bairro Menino Deus, em Porto Alegre. Era madrugada e a festa continuava, de repente serviram os comes, havia um bolo de chocolate, com 3 andares, do tamanho de uma pessoa, doces de frutas, e churrasco. Tentei comer rápido, pois queria ir embora, já que era tarde. Logo, já estava com PH, caminhando no calçadão de Santa Maria, e FP veio correndo atrás dele para ficarem juntos. Estranhei eles ficando, e segui caminhando atrás de um taxi. Vi 2 carros, cada um com motoristas estranhos, um com um motorista sem camisa e sem sapatos e o outro um senhor muito magro e humilde. Subi no taxi do senhor magro, e ao entrar percebi que só tinha metade da porta do carro para fechar. O senhor falava que tinha sofrido um pequeno acidente, estava tonto e com forte dor de cabeça, por isso dirigia muito mal. Senti medo, mas nesse momento já estava com minha filha no colo e não podia descer na madrugada. Andamos pelas ruas de Porto Alegre e senti medo ao descer a ladeira da Lucas de Oliveira, com o taxi em alta velocidade. O taxixta entrou por ruas do centro histórico e eu tentava orientá-lo a chegar na minha casa, que também não sabia direito onde era.
amor inexistente / thdniki

amor inexistenteSonhei com kurt Cobain. Pessoas me conduziam à um lugar por onde adentrava passando algo como um portal ou caverna, porta, era uma passagem estreita e escura. O lugar que parecia uma casa ou vila, eram casas em uma casa, e estavamos correndo pQ as pessoas estavam nesse ritmo e diziam pra que eu fizesse o mesmo. E nisso eu ia parar dentro de um banheiro onde kurt Cobain estava tomando banho e embora eu estivesse sem roupa não estava tentando seduzi-lo ou me oferecendo.Mas tava com algo que parecia u penis de cream cheese na mão. Mas ele saiu do banheiro sem dizer nada. E depois perguntava de mim qual flor era a mais bonita. E perguntava se era o girassol. E nisso várias mulheres apareciam querendo beija-lO. - Acordei enjoada E AZIA. ele não quis mas eu nem iria ATRAS DELE - Sem armação.E eu tava namorando.Sacanagem. Perdeu kurt.
Uma vida, mas duas mortes / li

Eu morava em Porto Alegre, num apartamento grande, pelas imediações da rua João Alfredo, andar alto. De repente descobri que minha avó tinha morrido. Fui procurar minha prima e avisa-la, e me dei conta que minha avó já tinha morrido anos atrás. Não sabia explicar como se morria por duas vezes.
Encontrei AA e surgiu um clima forte de romance.
Caminhei pela frente da casa da avó, em Santa Maria, e sua casa estava muito velha e abandonada, pintura descascada e mato tomando conta.
Sangue / VanMichelis

SangueMinha vagina era muito grande para segurar os absorventes internos. Os pequenos e grandes lábios eram sempre abertos. Descobri isso do nada, andando e começou a jorrar sangue de dentro de mim pelas pernas e o absorvente a cair. Eu estava em algum tipo de retiro budista quando isso aconteceu.
Revisitando o Tempo, Outro Tempo. / VanMichelis

Revisitando o Tempo, Outro Tempo.Alguem me acompanha e me leva para revisitar importantes momentos da minha vida no passado. Coisas de 5, 10 anos atrás. Parece que estou morta, tendo a oportunidade de rever calmamente minhas ações e quais eram as verdadeiras intenções e ensinamentos que cada uma dessas situações proporcionou. O que me impressiona nessa experiência é a relação com o tempo: as coisas estão passando bem devagar e consigo entender as experiências que me são apresentadas para revisão com calma e tranquilidade.

Visitei umas 3 ou 4 cenas da minha vida. Cenas do passado. Sei que estou no passado, relaciono essas cenas com situações vividas e protagonizadas por mim mas elas são completamente formadas por locações e pessoas que eu nunca conheci ou vivi em minha vida desperta. Vários símbolos no sonho e situações fazem com que eu reconheça essas experiências como minhas no entanto.

Estou em uma casa toda rosa onde só existe um grande cômodo conjugado. A cozinha e o banheiro são brancos e conjugados também. Na pia da cozinha tem um piano cheio de formigas, mofos e pinga agua da torneira nas teclas do piano. Alguem é dono dessa casa, um pai. Ele fez essa casa para suas filhas, uma grande casa de bonecas musical. O assoalho é de madeira rosa, as paredes e tudo mais.

Estou na sala da minha casa de um apartamento que morei uns 10 anos atrás tanto com minha família quanto depois que eles se mudaram com amigas somente. Haverá um show da minha banda com J. na sala. Ha muita expectativa. Depois que tudo acaba, meu tio S. re-organiza toda a cozinha colocando os itens de armario tipo panelas, talheres, pratos, colheres de pau penduradas nas paredes da sala.

Não consigo me lembrar das outras cenas do passado mas lembro da generosidade desse ser que me levou para visitá-las. Quem era? Não consigo me lembrar! Me lembro de uma última cena a qual não era no passado, pois era com pessoas que acabei de conhecer. Talvez uma vivência no presente do mundo dos sonhos.

Estava com L., fomos visitar a casa de umas garotas feministas. Ela queria conhecer essa turma e fui junto. Haviam lésbicas e pessoas trans. Ficamos apresentando nossos zines e materiais umas pras outras e lembro de ter sentido insegurança, uma das garotas foi escrota comigo e as outras se irritaram com ela, dando a entender que ela sempre arruma encrenca. Fui para outro cômodo, havia um sintetizador Moog. Falei para L. fazer umas bases enquanto eu tocava o synth. Ela fez bases dispersas, ou fez, dispersa, bases. Tive essa sensação, de dispersão.
nó da orelha / luizaso

nó da orelhaeu tava em um hotel nao sei bem onde, tipo uma ocupação, limpando os quartos e organizando cozinha com amigos, até que alguem me mostrou uma foto e quando eu fui olhar eu tava dentro do lugar da foto, que era um deserto imenso, muito laranja, tava rolando uma tempestade de areia e eu numa planicie contemplando muito de perto um monumento guarani, que eram milhares de biribas fincadas em comoros de areia, com tecidos vermelhos amarrados nas pontas, era muito muito intenso o vento e a areia e a vibração do laranja. eu sabia que se tratava de um espaço sagrado centenario guarani, o nome era composto por 3 palavras ________nó da orelha, nao lembro a primeira.