Drömma

aisling . dream . rêve . sogno . sonho . sueño . traum . śnić
Drömma Dreaming Logger — Coleção de Sonhos — Sonhário
porta cds do passado / luiza só

porta cds do passadotava num sitio bem maior que o que eu moro agora, com todos meus amigos do mundo reunidos, andand por uma casa achei muitos porta cds meus antigos, comecei a abrir e dentro de cada um saía uma memoria,uma foi eu a caxu e a laura com 16 anos num acampamento, com cara de sono esperando uma comida ficar pronta, e outra era uma foto minha vestida com uma saia longa preta, uma camisa e um xale branco por cima, o rosto pintado, feliz com uma cruz de santo daime brilhante na mão. essa foto eu via como foto mas eu tava dentro dela tambem.
dildo de carne / luiza só

fui pra porto alegre com kalo e ficamos na casa da mae de uma amiga que era em cima de uma companhia de teatro numa escadaria qe eu nao conhecia quando morava la. muito bonito. aí que dormindo acordei durante a madrugada e vi minha amiga na cama ao lado transando com uma menina linda, com as maozinhas amarradas. adorei fiquei com vontade e fui no outro quarto buscar a cinta pau da luisa que dormia la. aí que peguei e nao conseguia encaixar o pau no cinto. entrei num quartinho que tinha a luz acesa pra pedir ajuda. aí que eu conhecia o cara que tava la e a gente começou a se pegar e ele disse nossa mas esse pau é pequeno e começou a enrolar carne pra aumentar ele, era tipo cartilagem ou pele de frango nao sei. mas eu nao sentia nojo apenas tesão
deus e eu / luiza só

eu tinha um segredo com o vitor, era que nós encontramos deus e eu comecei a ficar com ele pra assassina-lo. a arma ia ser um óculos de grau, mas eu ainda nao sabia como faria. foi tenso. o bom é que eu tb tinha tesão em deus, mas sem perder o foco da missão. um dia antes do grande dia fui a casa do meu pai visitar meus irmaos e pegar energia positiva deles. no dia seguinte deus transformou um bar podreira ao lado da casa dele em um bar azul bonito. eu sentia que ele nao desconfiava de nada e gostava de mim. deus era careca, mulato e muito belo.
varios / luiza só

tava num castelo com C. e E. e muitas pessoas, na frente tinha um predio tipo castelo, muito antigo meio quebrado dava pra ver as pessoas dentro
e ele desabou e a gente viu tudo
corta/ eu e E. e uma mina numa floresta numa piscina natural maravilhosa, meio lago de ninfas, e E. ficando com essa mina e eu muito incomodada pensando que C. nao ia gostar disso mas em duvida pq nao sabia o acordo entre eles.
corta/ eu num avião, dentro dum predio fazendo manobras pelo corredores, as asas ficavam curtas pra se adaptar. tive um filho e to com o bebe no colo, ele eh branco e vai mudando de cor ate ficar negro e loiro, quando chego em casa ele é um gato daqueles rajados preto e amarelo
orgonix / luiza só

orgonixsonhei que eu era uma peça orgonica cheia de linhas lindas de repente eu era um homem negro e corria dentro dessas linhas que eram uma estrada, passou alguem e me deu um tiro na perna, eu segui correndo e passou um grande onibus com um pai e um filho dentro que me ajudaram e levaram pra um hotel vazio no topo da montanha da estrada, que era praia, e eu sabia que era o centro do orgone. voei pro mar e la tinham as maiores ondas que já vi, a cor da água era como esmeraldas e a espuma muito muito branca, eu entrei no mar, a densidade da água era outra, foi a melhor sensação do mundo, como se não houvesse nada a temer no mar
morte / luiza só

morte eu fui visitar uma amiga com quem tava meio brigada, cheguei na casa dela q era alta com uma escada tipo uma casa na arvore parecia, e eu cheguei la e ela espumava de raiva e disse que ia me acusar de ter estuprado o pai dela, enfiando pedaços de grama no ânus dele. então ela jogou evidencias em mim e disse q agora eu ia me dar mal pra sempre, q ela jogou as provas em mim. entao eu morri e virei uma alma e eu olhava pra ela e perguntava porque ela tinha feito aquilo muito exasperada, empurrei ela q caiu da arvore e quando caiu no chao sairam do bolso dela uma serie de joaninhas e alfinetes, muitos abertos com as pontas a vista, no chão. eu segui perguntando porque ela tinha feito isso e fiquei muito triste. encontrei diversos grupos de amigos e minha familia, eu via eles e nao conseguia me comunicar pq eu era uma alma apenas agora, e eu chorava muito porque nao podia mais participar das vidas deles. entao fui pra um facebook de almas e conversei com outros mortos um deles meu primo, que tinha morrido pouco antes de mim e me chamou pra ir com ele ao proprio funeral.
transa pragmatica / luiza só

eu tava na cama da minha mãe que logo virou o terraço do margs. comecei a transar com uma amiga e eu colocava os dedos e ela me guiava como se estivesse dando um treino ou uma aula, muito séria. "me vira." "à direita". "não não não, voce está fazendo errado", tudo muito articulado e totalmente descolado de qualquer clima erótico/sexual. parecia auto escola
casa caindo / luiza só

eu tava em casa e de repente ela começou a se mover, como um barco numa tempestade no mar. eu e minha irmã arrastavamos os móveis pra la e pra cá procurando estabilizar. dava pra ver a casa se soltando do resto do predio, como meu apartamento é no térreo, parecia que ele se dissociava do resto e ia caindo poeira e quando estabilizavamos com as mobilias parava um pouco o movimento e logo começava de novo a chacoalhar como se fossem marolas gigantes passando e o frizz frizz frizz era o som das paredes deconectadas arrastando no teto. saímos correndo e encontramos minha mãe do lado de fora do prédio, ela fez uma cara de descaso como se estivéssemos fazendo muito barulho por nada e entrou calma e altiva no predio e dpeois no apartamento. aí ele começou a mover e eu falei pra ela VIU como é sério. então ela sumiu e apareceu meu irmãozinho de seis anos que no sonho tinha uns quatro, que vinha do meu quarto, usando uma camiseta minha de camisola, todo suado de recém acordado com os braços pra cima me pedindo colo. eu tirei ele dali e acordei.
russia / luiza só

sonhei que tava na russia com a carol, tava MUITO frio e passavamos o dia dentro dum apartamento fazendo café. o elliot tinha um apartamento só dele num prédio tipo o copan só que muito maior que o copan, a gente tb tinha nosso ape la, mas nunca iamos no nosso, a gente tava sempre no do elliot pq era maior. a winnie, o vovozinho e a gatinha do thomas tavam hospedadas com ele! a laurence tb tava no sonho mas ela sumia e aparecia, as vezes ela era a emilia.
a gente ia voltar de onibus pra casa mas a carol tava enrolando demais pra arrumar as malas, então eu pensei "ah ela só quer ficar aqui com o elliot" e desencanei de voltar tb, e ficamos la num colchão enorme cheeeio de cobertas deitados os 3 vendo um documentário numa tv de tubo muito velha.
piratas / luiza só

tinha show do tame impala e eu ia pagar 1000 reais pra ir, eu nao sei por que, passei o sonho todo fazendo contas de cambio de pq um show de 150 reais estava custando 1000, e eu ia pagar 1000 pro alberto ir junto. nisso tinha uma casa gigante mansão onde eu estava com um amigo e piratas invadiram a cidade e o mundo no caso pq eram piratas que vinham em navios que iam pela terra também, eles eram de madeira e livros, pareciam livros pop-up só que tudo muito imenso. esses piratas eram canibais e eu os ouvi confabulando que iriam comer a princesa. aí eu acordei
tudo que importa no fim é que foi um sonho com dente / luiza só

sonhei que tava em sao paulo e era natal, tava com muitos amigos de lá e teve um joguinho sexual de cada pessoa sair com uma outra pessoa sorteada, eu fui pra casa com um amigo lindo fiquei e a gente ficou a noite conversando e ele fazendo mil coisas que tinha que arrumar pra uma viagem que tinha que fazer pela manhã, não teve nenhum sexo, pela manhã chegaram muitos amigos que iam viajar junto, eu não ía, peguei minha bicicleta e me materializei num prédio onde encontrei o paulo meu amigo de porto alegre, fiquei conversando e fui ficando muito tensa, até que um dente meu caiu, e ele tava amarrado numa cordinha meio que costurado com ela. peguei na mão e a bicileta na outra e fui descendo uma escaria redonda imensa voando, como se não tivesse degraus e as pessoas em cada andar iam me ajudando com a mão a descer sem atrito e sorriam e eu agradecia e pensava "deve ser o espírito natalino por isso tão solícitas". saí pedalando por são paulo e eu tava com a bici do daniel que é azul e muito pesada, liguei pro dimitre e pedi uma ajuda,o telefone de um dentista. cheguei na casa dele e tavam 3 amigas minhas la e eu pedi que elas me arrumassem um freela pra eu ficar mais uma semana em sp pq tava com saudade. aí eu acordei
cafuné / luiza só

sonhei que tava com o sergio e a ieve na cupula da ccmq instalando umas coisas e conversando, chovia muito e eu tava com muita dor de cabeça, tanta que ficava meio tonta. entao eles disseram que tinham um segredo do cafuné mágico e fizeram uma massagem na minha cabeça que fez sumir todas as dores, fiquei muito leve e forte
flutuante / luiza só

sonhei que saía de carro com o daniel, em direção a charqueadas. pela estrada, saindo de porto alegre a pouco tempo, de repente apareceram diversas entradas para casas, sitios, todas pra dentro dos morros, como se o morro fosse uma parede, e todas com muita nevoa. a gente desceu do carro e foi voando por entre essas casas, que eram muito amarelas e azuis e cheias de flores. o ar enevoado era como uma piscina, a gente flutuava-nadava-voava tudo junto, aos pulos e como se sem gravidade. tinham muitos girassois. uma casa em particular me deteve por muito tempo, era quase de bonecas e tinham braços que abraçavam a porta, quase-macabro como as bonecas de barro que seguram o queixo. seguimos pela estrada pulando-voando, e então eu acordei
sexo com estranhos / luiza só

sonhei que transava com um cara que eu mal conheço. era num hospital tipo numas macas. o legal é que isso da um sabor pra uma pessoa que até entao eu nunca tinha percebido sexualmente.
morte / luiza só

sonhei que me mudei pra uma casa, tinham varios amigos nela eu sei mas nao lembro quem. eu ajudei a matar uma pessoa e me livrar do corpo, o tempo passou no sonho e nao ficou nenhuma preocupaçao em relaçao a isso, entao eu ajudei a matar outra pessoa e essa pessoa foi colocada em um caixao nos fundos da casa. começou a chover torrencialmente e o caixao ficou submerso, tinha quase 1m de agua ali. eu sentia medo que alguem descobrisse, mas nao remorso. nao lembro dos mortos nem de ninguem-
nazi / luiza só

eu morava no predio da minha vó que tinha o tamanho do edificio copan, tava com meu amigo werner que faz trabalho de campo com descendentes de maias e ia ajudar ele a publicar a tese no brasil. o mundo era nazi e tivdmos que nos encontrar com uns generais do fuhrer pra apresentar o boneco do livro. eles não aprovaram e eu tive que fugir pulando muitas janelas até que encontrei um riquixá. a guria que levava ele entendeu tudo e me escondeu dentro. me levou até um bairro afastado onde tinha uma resistance e começamos a fazer copias a mão do livro. aí comecei a sentir minha pele queimando e fiquei pensando que precisava de protetor solar, aí eu acordei e percebi que meu lençol tinha saido e a sensação de queimado era pq tava me raspando no colchão.
piscinão de estocolmo / luiza só

eu tava indo pra berlim e peguei uma carona com uma amiga, a gente ia por uma belissima estrada de flores amarelas que chegava numa ponte, a gente tinha que passar por baixo da ponde, um local com umas grades dentadas que abriam pra gente passar e dava um pouco de medo mas não muito. então ela me lembrou que eu esqueci o documento e disse vai pegar que eu seguro tudo aqui. nisso apareci em estocolmo, na piscina de espera do aeroporto, que era a maior piscina do mundo, com dezenas de escorregadores gigantes que vinham de algum ponto muito alto. nessa piscina tinha um assassino que dava tiros por baixo d'agua mas parece que eu fui a única a me abalar com isso pq as pessoas continuavam nadando numa boa. fui pro vestiário e encontrei umas meninas com quem fiz meditação no meu aniversário de 2011. uma delas era esposa do alberto e eu acordei sem entender nada, bastante cansada.
florestao / luiza só

era tipo numa região de floresta tropical densa meio chuvoso sempre e o dimitre levava crianças numas aventuras era incrivel, era tipo instrutor de aventuras.
tdo mundo q eu conheço vivia la, e eu tava tirando fotos todo tempo com uma mina e voltava pra deixar as fotos num computador numa sala meio jurassic park.

as vezes todo caminho era dentro da agua so com ombros de fora e um clima de alegria sempre
focas brilhantes e gangorra / luiza só

sonhei que eu andava numa gangorra num baita sol assim muito suae, então chegou alguem e me perguntou 'entao oq o dimitre te mostrou?'
e ai eu soh olhei p minha perna e do meio da coxa saía uma barra de metal que se unia com a gangorra e eu realizei que tava andando sozinha. fui meia gangorra. aí entrou uma luz branca vi duas focas cor de rosa brilhantes e acordei.acho que na hora das focas eu já estava controlando
˜˜˜˜˜˜~ / luiza só

eu tava em sao paulo mas ela parecia uma cidade no deserto tipo timbuktu, mas com os predios de areia imensos. era como se fosse a terra mas a terra era um planeta diferente.
tinham piscinas de agua de gel espalhadas por tudo, eu tomei banho em uma, então fui pra casa de uma amiga e usei uma chapinha de alisar o cabelo, conforme eu ia passando meu cabelo ia crescendo lindo e preto e ficou bem longo no final. aí eu acordei
messias / luiza só

sonhei que um cara chamado tiago chegava em sp e mudavaa vida de um monte de gente
ny / luiza só

sonhei um sonho que eu ja tinha sonhado, eu sentada num banco de ponto de onibus com minha mãe, esse banco ficava numa calçada de um bairro meio industrial antigo, sem muitas casas, na nossa frente um muro meio amarelo riscado e sujo, e eu sabia que estava em NY apesar de nunca ter estado la e nao ter nada indicando que fosse la, era la...
a terra embalada / luiza só

o planeta terra foi coberto por diversos imensos panos pretos, ás vezes eu era o pano, ás vezes o chão da terra e também vi em algum momento a terra se afastar muito velozmente pelo espaço enquanto os panos iam a abraçando. os panos eram daquele tecido de exercício circense, e iam embalando a terra aqueles pedaços gigantes, como se fossem seres vivos