Drömma

aisling . dream . rêve . sogno . sonho . sueño . traum . śnić
Drömma Dreaming Logger — Coleção de Sonhos — Sonhário
en_drigo
que
e
o
a
um
uma
eu
do
em
não
com
era
da
no
por
se
para
estava
me
-
muito
os
as
onde
ao
na
meu
ele
mas
havia
ela
minha
tinha
pois
como
pra
é
mais
ser
foi
quando
sem
disse
até
todos
mesmo
das
vi
dos
dentro
fiquei
sempre
pessoas
seu
outro
poderia
sua
lado
ter
tal
pela
eram
ali
ver
pensei
percebi
meio
cima
ou
lugar
nunca
parecia
casa
visto
tem
então
porta
isso,
à
também
isso
acho
sobre
fui
qualquer
outra
fora
enquanto
tive
este
campo
frente
e,
rua
ficava
qual
andar
mim,
vai
aquele
fosse
luz
dinheiro
sei
vezes
mãe
amigo
aos
fazia
sol
logo
algumas
eles
voz
assim
algo
direção
agora
sonho,
atrás
toda
ar
sob
conta
branco,
aquela
depois
mesa,
banheiro
ora
conseguia
três
seus
deveria
percebi,
cara
esta
pegar
nem
perguntou
fazer
essas
chão,
dia
descia
sensação
tudo
muita
rua,
desta
sala
rosto
vinha
encontrar
pensei,
vontade
igual
eu,
homem
umas
pai
apesar
nada
praia
meus
telefone
cinco
vezes,
casa,
fim,
(que
som
santa
porto
sequer
voltar
via
são
mar
olhei
ladeira
embaixo
estou
deixar
disse-me
falar
você
vão
dormir
mesma
estacao
andares
dela,
amiga
ir
fila
branco
(o
abriu
não,
noxta
muitos
espelho,
praia,
botão
impressão
curioso,
posso
câmera
cena
coube
entrar
lugar.
areia,
paulo
tentando
dele,
porta,
ícone
sinal
ia
apartamento
durante
vagão
pode
largo
boca
tampouco
dromma?,
casas
dia,
lado.
linha
perguntou-me
lhe
tarde
diz
azul
interrompida
tipo
parava
adentro,
durhum,
amanhã
continuava
publico
corri
peças,
escorpiões
escrita
descida
(acredito
rio
horas
site
encontrava
ah!
banheiro,
agora,
final
vendo
boa
às
movimento
portuguesas
manha
veio
infância.
subiam
descer
sotaque
dentre
aqui
áspero
ondas
sumiu
frente.
rosto,
lembro
pro
som,
capa
revista
direita
normal,
senão
olho
tocando
palavra
imagem
céu
nisso,
vez,
nariz,
departamento
sido
faltava
noite,
sorriso
guilherme,
era,
`a
devia
elevador,
pergunta. -
botões
metros
visão.
permaneceu
canto
impossível
apagado
nenhuma
rir
ordem
elevador
último
sensação,
conclusão
inventar;
infinita,
padrão
drommaster
descer.
repetindo-se,
ensaiar,
bumbo,
tempo.
cimbals
flauta
apagar,
flauta,
tocava
ele. -
terminava.
ladeira,
outrem,
igrejinha
espelho
analisar
loop. -
banda,
censurar,
par
cogitei
sonho),
descia-se
memória
pancada,
sono,
colidi.
deve
parte
abriu-se;
fluir
inevitavelmente
Alfred
durado
corrigir,
E.
construída
Newman
devemos
garoto
cuja
ininterrupta
Mad)
expressão
premeditar,
revezando-se.
ímpar,
mesmíssima
circular,
editar,
rococó,
jovem.
lomba.
*não
covarde!*,
*cagalhão,
soprava:"noxta...
durhum...""noxta
durhum...
durhum...",
velho
afinal? e
caminhava;
areias
gorgonzola
movediças
arenoso,
cascalho
erguiam-se
nove
chão;
movia-se,
movediço.
repentinamente
furar
mudando
drigo!,
ondas,
poeira
coragem
*sandoz*.
desenho
cujo
*dromma*,
marca
luminoso
salpicado
guardados
chumbo
remédios
pino,
groselha
pó...
armário
pessoa? abri
pó,
será?,
cogitei,
espelho.
aposto*,
postar,
crepúsculo,
refletida,
escurecia
senhor,
terra,
postar
fendas
ostentava
lama.
poucas
fendas,
ar;
ar,
luz:
vou
amanhã,
diferente,
isto
dormindo,
ladrilheira,
ladeada
bastante.
coloniais;
imutável,
alguma;
estático
hipótese
noite.
britas,
realidade,
pouco,
enfim...e
mergulhado
terra
ressoar
durhum
soava
seu?,
distinto,
hramgan:"anxto
hramgan...
avisei!...
anxto
QUE
diabo
codinome. -
significava,
afinal?
hramgan,
usar
lodo
recomenda-se
nadando,
hramgan..."
silêncio,
inferior
dente.
encarando-o,
escorpião
machas
vermelhas,
frente,
queixo
projetei
fotografá-lo.
fitando-me,
sucesso. como
expliquei
dissesse
própria,
chuva.havia
instalei
espiei
números
ignorei
obedeciam
lógica:
2-5-7-12-27-33,
etc.
fixamente.
comuns,
olhando-me
*o
vermelhos
mucio
XV
(
curitiba)
paulo.* -
álamo,
fica
brasileira,
maria),
*versão
dublagens
pretos.
chegando
qualidade
santos
ferroviaria
maria.minha
dinheiro!,
visitar
morei
empreste
foi?* -
parede,
santos.
sonhei
funcionavam.
0
Superinteressante).
"pronto,
Super
vai". o
subiu,
cubículo
passou
ampla
caras
janelas,
aqueles
fuçou
teleférico.
mandado
naturalidade,
chegar
sétimo.
desci
acadêmico.
fotos
preto
claudiao,
honório,
transformou-se
apertei
fogão,
agulha
(uma
velho,
acender-se
botão,
riram.levantei
pressionado).
"ah,
não",
moça,
"agora
limpar
equipe
falou)...
química.
7,
estudar
reprogramar
elevador",
prontamente
travou
sacou
bolso
(não
imperturbável
exemplo,
quer...,
sempre,
joão
você,
alcançá-lo,
morder
própria
orelha.
bobagem,
segue,
flutuante,
apêndice
permanece,
visão,
focá-lo,
clicá-lo,
tocá-lo,
mensagem
mim?descobri,
então, ao
caminhar
mãos correr
lêem.
rápido
piscando,
comparado
alcança.
ícone,
antigas...,
lá...
viking,
campana,
badalava
sino,
escurecendo
fundo.sonho
constante:
enxergo
mundo
foco
aparentemente
visão
percebo
piscar
icq.
"mensagem
mim?".
intuitivamente,
viro
insistiu
avisando! -
senhor. -
tocar.hoje,
pés. Só
plantando
reta,
peça
torre,
xadrez.o
tocar
procurava
dize,
veja
tudo.
transformar
casa.
dromma...,
seguia
buscava
mooca
qualidade,
encontrá0-lo
mesinha,
gozava
árvore.
"alô",
dando-me
retruquei,
tocando,
sonhos.
continuei. -
corredor
bananeira.a
públicos
tornam
dentes
caíram,
um. com
eles,
joguei
búzios
pia
estreito,
que
fundo
infinito
faroeste. -
rugoso
percebia-se
superfície,
bandido
espaço,
infindável,
andava
palha. estive
*sandoz*,