Drömma

aisling . dream . rêve . sogno . sonho . sueño . traum . śnić
Drömma Dreaming Logger — Coleção de Sonhos — Sonhário
Cabeça/carta e Lagoa Rodrigo de Freitas / Hannap

Cabeça/carta e Lagoa Rodrigo de FreitasSonhei que estava em uma discussão com 3 homens, a Drica estava envolvida. Um deles, o mais debochado, falou alguma coisa que me irritou muito. Comecei a bater na cara dele. A cara dele ficou achatada como um pastel pequeno, do tamanho de uma carta de baralho. Ele foi ficando deformado, com a pele escura e muito machucado, até que a cabeça se soltou do corpo. A cabeça ainda ficou viva, rindo, durante algum tempo. Percebi que havia matado um homem, coloquei a cabeça/carta dentro do meu bolso.
Subi as escadas, era a casa da minha avó. Cheia de cômodos. Escolhi o primeiro deles e fui tomar um banho.
O banheiro era complexo. Havia uma construção de louça com vários nichos de banheira, uma principal (a maior de todas) e outras menores, como pequenas piscinas. Algumas plantas também no meio da banheira. Eram 3 chuveiros interligados, cada um caia sobre uma das banheiras. Tomei um belo banho quente para me lavar do crime cometido.
Antes de acabar o banho uma série de pessoas começaram a entrar no quarto e no banheiro. Fiquei com medo que eles vissem a cabeça/carta. Estavam me convidando para ir na Lagoa Rodrigo de Freitas. Verifiquei a cabeça/carta e ela estava de baixo da cama. Vesti a roupa e desci. Encontrei um cenário inacreditável. A lagoa estava limpa, com a água cristalina. Saí correndo e dei um mergulho. A Drica não mergulhou, ficou sentada, olhando com uma cara de tristeza. Eu nadei muito e encontrei a Mana Bernardes. Ela também estava muito feliz com a novidade da lagoa.
Fui subir por uma rampa de concreto e percebi um buraco, onde apoiei o pé, que sugava fortemente a água. De dentro da lagoa não dava pra ver, mas quando a gente saia da água dava perfeitamente. Era um buraco quadrado grande, onde entraria uma criança, era como uma bomba de piscina gigante. Chamei a Mana e ficamos brincando de aproximar o pé do buraco e sentir a sucção. Logo outras pessoas vieram fazer o mesmo. Subi para a pista novamente e fui encontrar com a Drica, a Mana veio junto.
Vesti novamente minha roupa. Calça, camiseta e blusão. Falamos que a água estava maravilhosa mas a Drica continuava com uma cara triste. De repente ela se joga na água e badanada, quando ela para o vestido vermelho faz um círculo enorme, como um flor aquática. É uma cena linda. Fico tão feliz que me atiro na água atrás dela. A Mana grita que estou de roupa e percebo que aquela é minha única roupa e agora está encharcada. Na pista uma multidão está olhando e vibrando com a cena.