Drömma

aisling . dream . rêve . sogno . sonho . sueño . traum . śnić
Drömma Dreaming Logger — Coleção de Sonhos — Sonhário
The neighbours / Kaneda

Fugia pelas casa da vizinhança até chegar a um beco que tinha a opção de subir ou descer, eu conhecia o caminho por baixo e decidi seguir por ali para não ser pego. Quando saí, identifiquei que havia chego na casa de alguém conhecido. Atravessei o portão que ficava aberto para quem descia, mas percebi que era uma passagem do beco para a rua, já a casa era quase inacessível por ali. Cheia de grades! Vi um carro parado em frente à casa. O que aconteceu é que reconheci quem estava atrás e era Nerak. Demos oi e conversamos, perguntamos coisas frívolas e nada mais.
Beach towards the right end / Kaneda

Viajei de carro em direção a algum lugar que não fazia ideia, mas iria encontrar uns amigos. Ao dirigir, percebi que tinha chego numa praia, logo após, comecei a descer um despenhadeiro. Percebi que estava dirigindo, descendo muito íngreme e, ao final dele, uma ponte de madeira, ainda pra inclinada para baixo que dava na praia.
Acelerei! Caí de carro e tudo no mar, pouco me importando com os banhistas que faziam o mesmo, porém sem carro. Aí me dou conta: "- Que burro! BURRO! Como volto agora sem carro?!"

Pulei de novo na praia, amarrei uma corda ao carro e nadei de volta pra ponte. Com uma facilidade surreal, subia o carro pela ponte. Ao chegar ao topo, larguei o carro e meus amigos riram de mim. Disse que estava pagando uma promessa: "-A de viver, não importasse o quanto.".
Rats / Kaneda

Ouvi uns sons de rastejo muito intensos. Como pareciam passos pesados e bem ligeiros, logo imaginei serem passos de rato. Comecei a procurar pela casa, em volta do meu quarto, então, notei que o som havia propagado para o banheiro.

Cheguei ao banheiro, fechei a porta e fiquei parado na tentativa de ouvir o som.
Éramos somente ele e eu.
Chocalhei o box com força, porque imaginei tê-lo visto subir.
Um rato então cai de uma altura acima da minha cabeça.
Quando tentou passar por mim, não pude deter-me, pisei em cima de seu corpo, notei que mesmo assim ainda queria me morder. Segurei o pé até que ele sufocasse.
Bar meeting / Kaneda

Estava num bar conversando com uma guria, apenas tomando cerveja e discorrendo sobre a vida. Estávamos discutindo tópicos bem interessantes e a conversa virou de repente, de simples a interessante. Quando alcançamos o ápice, e imaginei que aquilo havia se tornado um encontro, apareceu um rapaz que sentou-se ao lado dela.
Ela então ficou compenetrada com o rapaz e eu pedi licença para retirar-me, mas ela nem deu-me atenção.
Fiquei sentido por alguns instantes, porém percebi que ela havia se interessado mais pelo rapaz. Virei-me fitando a janela e continuei a beber.
Pedi outra cerveja e a apreciei sem moderação, desta vez, sozinho.
To Learn / Kaneda

Estávamos em um antigo jardim em casa, Ohnitsoga, uma pessoa e eu. Ele pediu que nós ajudássemos a montar uma mesa de café da manhã. Pães, café, frutas e, mais uma série de outras coisas, apareciam. Bastava que utilizássemos a imaginação para pedir. Sentamos para nos confraternizar e eu comecei a contar um pouco das histórias de minha vida. Ohnitsoga fitava-me surpreso a cada revelação.
No arms / Kaneda

Meus braços doíam muito, sentia como se eles fossem cair, resolvi cortá-los e jogá-los pra longe. Foi uma dor muito insuportável.
Air humidificator / Kaneda

Passando e subindo pela rua do centro, estava comendo um salgado, espécie de torta de frango, quando me deparei com Enila.
Ela descia compenetrada em seu celular, então joguei um pedaço do salgado nela e gritei:"-VEM ME PEGAR!", ela então virou-se com uma expressão furiosa, mas quando seus olhos levantaram e viram minha figura, abriu-se um sorriso em seus olhos e saiu correndo em minha direção.
Comecei a correr e entrei em uma loja tipo FNAC, mas estava tarde e não podíamos mais adentrar a loja. Sentamos do chão do lado de fora dos caixas e ela apontou-me uma televisão de 15 polegadas e que era um umidificador de ar. Era branca a televisão e tinha umas caixas de som gigantes embutidas.
Enila decidiu não comprar a tevê e saímos de lá pra uma loja de doces.
De repente todos começaram a andar feitos robôs, e eu vi umas caixas de chiclete.
Shooting Star / Kaneda

Combinamos de sair no fim de semana. Entre tantos lugares em São Paulo para nos encontrarmos, escolhemos ir juntos justo naquele que não conhecíamos, mas que nos aguçava os desejos.
O lugar combinado, era um lugar palaciano, com toques delicados da era medieval em meio urbano, era um lugar para fugir da cidade dentro dela, ao mesmo tempo encantador e caótico.
Alil, vinha então, paulatinamente em direção a minha mesa, ela estava linda. Seu caminhar era hipnotizador, seu sorriso ultrapassava o que costumamos saber o que é a felicidade, e o seu olhar,... Ah, o olhar! Aqueles grandes olhos marrons esverdeados fixados em minha direção... Aquilo me deixava atônito!
Por dentro estava explodindo, enquanto minhas mãos trêmulas eram o escape da minha intensa insegurança e falta de auto estima.
Ela sentou-se, comprimentos. Conversamos e pedimos um drink.
Carros antigos e amarelos passavam no coreto ao lado de fora, sequencialmente, como se fossem um presságio nos chamando a atenção para fora do lugar, que não se sabe se era um restaurante, bar, ou sabe-se lá o que.
Foi quando um dos carros entrou por engano algumas mesas por engano, e o restante dos carros amarelos que o seguiam, erraram por consequência. Abismados com o erro boçal, começaram a buzinar enlouquecidamente.
Resolvemos sair e respirar um ar puro no banco do ladroes fora por uns instantes. Dissertamos sobre os infortúnios de morar em uma cidade grande como SP, inclusive as surpresas como a do carro amarelo que nos atacam de repente... Mostrei algumas fotos antigas de correspondências que Alil havia enviado-me há anos.
Foi quando o céu abriu-se, um brilho forte, intenso e vívido, apareceu. E apareceram outros, e de várias cores! As constelações eram vistas de modo inalcançavel numa cidade como a nossa. Foi quando percebi o Cinturão de Orion, entre os azuis e laranjas, amarelos e brancos, era possível ver que tudo tinha uma ligação. Entre o começo de Orion e o início de uma outra constelação maior, surgiu uma estrela de brilho muito mais forte que foi aumentando gradativamente seu brilhos e caiu para a esquerda. Todos gritavam enquanto a estrela caia: "Uma estrela cadente!", "Uau! Que maravilhoso!", eu, na verdade, achei um espetáculo inédito e magnífico, mas estava mais feliz ainda porque Alil estava ao meu lado. E torcia para que ela desejasse a estrela, exatamente o que eu desejei: "-Estar sempre ao seu lado.". Foi quando olhei a sua expressão de felicidade acompanhando a estrela cadente caindo e apagando, que a beijei... E foi um beijo como uma estrela cadente. Olhos. Brilho. Lábios. Forte. Juntos. Desfalecer. Acordar.
E vim escrever aqui, pois foi merecido.
Fired! / Kaneda

Um dia de trabalho comum, sem coisas das quais poderia dizer que mudariam algo ou que seriam diferentes do comum. Oiram havia passado por mim e notei inquietude enraizada no olhar mirado em mim, foi entãoque se aproximou perto de mim, e disse por as palavras mais preocupantes para uma pessoa num cargo deste:"- Precisamos conversar." E, então, respondi sem pestanejar:"Não se preocupe. Sei do que se trata e acredite, nada disso é culpa de ninguém mais, além de mim." Acho que ele nunca havia recebido tais palavras tão sinceras de alguém. Foi quando o peso de dez elefantes saíram de suas costas que em sua intimidade não conseguia desfazer-se, e perguntou-me:"- Então, você já sabe?!"
Embora não soubesse nem um pouco do que estávamos confabulando, respondi afirmativamente com a cabeça e com a garganta raspando "- Hu-hum!".
Avistei a folha saindo da impressora, e ele foi buscá-la. No verso da impressão avistei meu nome e o contrato de recisão de emprego. Fiquei amuado, tanto quanto alguém que descobre que faltou-se um número correto para ganhar na loteria.

A vida é uma aposta. Precisamos nos arriscar.
Heartbreaker / Kaneda

Tínhamos acabado de sair da aula. Sytamar estava cabisbaixo enquanto conversávamos. Paramos por um instante e ele então pediu-me uma carona.
Como iria negar? Um amigo desejando um bom papo e uma carona até sua casa. Bem, partira o meu coração de sequer imaginar uma resposta contraria de "sim".
"- Para isto servem os amigos!" Disse, logo em seguida.
Ele ergueu um sorriso desarrumado, ajeitou-se no banco do passageiro e jogou a cabeça no encosto do banco suspirando.
Sabia que Sytamar morava um pouco distante de minha casa, olhei o nível de combustível e estava com o tanque em apenas 1/4, e logo imaginei: "Vou ter que encontrar um posto pelo caminho. Que diabos! Agora mais de meia noite, onde vou poder abastecer em um se todos estão fechados?"
Dei um sorriso sozinho enquanto ligava o carro e percebi que Sytamar estava a dormir.
So listen to the radio / Kaneda

Depois da aula na faculdade, voltei com Otrebor pela praça para poder pegar o carro. Passamos por um lugar desconhecido, mas era por ali que havia estacionado.
Discutíamos sobre vários assuntos, um tanto divertidos. Quando então, chegamos próximos ao meu carro, percebi que havia deixado os vidros abertos e nada mais havia dentro. Nem mesmo o painel. Fiquei surpreso de o carro ainda estar lá.
Avisei Otrebor sobre o roubo e ele foi verificar o carro dele.
Flight to Victory! / Kaneda

Estava decidido. Era isso o que desejava. Num passado não muito distante, fora imaturo, despreparado e incapaz de distinguir o que dentre as decisões erradas, era a menos errada.
Percebi ao olhar para minha adolescência já vivida, que os caminhos que escolhera, eram entãoo desemboque da minha atual situação. Como um rio que tem que escolher o caminho pelo qual deverá percorrer sem nunca ter visto o mar, mesmo sabendo que é ali o seu destino final.
Destino. Esse era o meu: "Encontrar Arayan".
Peguei o primeiro voo, sem saber com que expressão no rosto, sem treinar os gestos ou as frases. Após tantos anos, só desejava encontrá-la.
Encontrei com Iram que levou-me para sua casa e recebeu-me de braços abertos. Senti-me confortável e apartado num território conhecido que mais parecia desconhecido. Sai em frente a piscina que mais parecia um mar, tomei um martini, depois um conhaque. Acreditei que alterado pelas bebidas, sentiria coragem maior para encarar a realidade e dizer tudo que tinha entalado.
"Esse é o tipo de certeza que só aparece uma vez na vida", ouvi em "The Bridges Of Madison County", era isso que queria poder dizer. Se fosse pra ir embora, com o coração partido e seguir a vida sem Arayan, essa era minha escolha de a vida que imita a arte.
Acendi um cigarro, de dentro da piscina avistei a mãe dela que vinha em minha direção. Dei-lhe um abraço, conversamos muito sobre os acontecimentos. Dizem que conversar amansa o coração. Contamos acasos da vida como ela é, um imenso gerador de improbabilidade infinita e de como havia parado ali.
O sonho terminou e não encontrei-me com Arayan.
Pregnant / Kaneda

Via Nerak com uma barriga gigante, numa foto que alguém virou e me disse que era para mim. A foto se transformou num vídeo em que ela dizia: \"- Isto é para você\" E havia um \"M\" escrito na barriga, que foi quando me dei conta de que estava grávida. Logo pensei que tinha ficado grávida de mim e não havia me contado.
Market / Kaneda

No supermercado Si começou a jogar algumas coisas no carrinho de compras, chegamos até um corredor mais vazio, ela empurrou-me para um canto no fim do corredor, começou a tirar minhas calças. Dizia para ela parar com medo das câmeras de segurança, mas queria que ela fizesse sexo oral como nunca.
Ela tirou delicadamente minhas roupas de baixo, enquanto acariciava minha perna. Com seus lábios, beijava-me suavemente as partes íntimas, e depois colocou-o todo em sua boca, enquanto suas mãos acariciavam-me.
Sem estepe / Kaneda

Estacionei o carro num lugar longe e perigoso, não havia motivo aparente. Voltei para casa, esperei anoitecer e fui buscá-lo novamente. Estava um breu danado, atravessei a rua com aquele jeito medroso, e ao mesmo tempo, atento a tudo a minha volta.

Cheguei ao local onde havia estacionado e estava um marasmo infinito no local. Olhei bem a minha volta, meio desconfiado de que alguém poderia sair em meio as sombras. A vontade de sair de um lugar daqueles era maior que o suspense de um filme de Alfred Joseph Hitchcock. Disparei o alarme do carro, o som do alarme poderia ter acordado uma vila com mil ladrões, e chamado a atenção de outros mil. Entrei as pressas no carro e travei as portas. Dei a ignição, engatei a marcha ré, quando soltei o pé da embreagem, percebi o carro arrastando a funilagem dianteira.
Estranhei, sai do carro e vi que tinham levado as duas rodas da frente e largado um macaco no meio do carro. O motor também não estava, assim como muitas outras partes.
Olhei ao lado e avistei um outro carro, este bem mais antigo, que estava estacionado e nas mesmas condições. Imaginei ter encontrado um cemitério de carros.
Dragon / Kaneda

Estava a beira de um lago, ambiente era bem desolador. O lago era escuro e havia um cervo que boiava, em meio a água obscura. Alguém o matara e pensei estar jogado lá sozinho, mas apareceu um dragão que estava submerso, junto com suas presas abocanhou o cervo e desceu novamente.
Car Bomb / Kaneda

Um carro explodia na avenida de casa e eu assistia a cena chocado. Era avistável os destroços voando, o pânico das pessoas que assistiam a cena, a fumaça que subia e o som das sirenes dos bombeiros.
O carro tinha simplesmente entrado em combustão espontânea, sem ninguém dentro e eu pude acompanhar a explosão do início até o fim.
Famous / Kaneda

Tinha ingressos para um show de televisão e estava nos bastidores no aguardo para o início das gravações. Apareceu um automóvel elétrico levando algumas celebridades nacionais e então, quando olhei para o lado, avistei a Hebe Camargo. Começamos a conversar e fiquei deslumbrado com tamanha afinidade com que íamos tocando o bate-papo.
Tíramos fotos juntos e ela voltou para o backstage para preparação.
FlashMob / Kaneda

No vigésimo andar de um prédio estávamos Siaty e eu. Participávamos de uma promoção em que era preciso escrever uma frase numa tira de papel. Tinha uma regra que dizia não ser permitido sair do prédio e do andar, mas como cansei resolvi sair. Já fora do prédio encontrei com uma guria que era responsável por recolher as frases, mas só de quem tinha saído do prédio. Acabei voltando porque Siaty não sabia e não tinha celular...

Entreguei a minha frase e voltei para o vigésimo andar do prédio.

Precisava urgente sair de lá, pois se não iria atrasar para o dia de eleição.
Embreagem / Kaneda

A embreagem do carro falhou e decidi levar o carro ao mecânico para verificar o que tinha de errado. Ao chegar na oficina, conversei com um rapaz e ele me explicou como funcionava a embreagem do carro com uma bola de silicone multifacetada, com vários níveis de rotação e que cabia na palma da mão. Girava o círculo como um cubo mágico.
Exam / Kaneda

Não tinha passado numa matéria e tinha de fazer a prova substitutiva afim de garantir que eu passasse de semestre. Minha namorada me aguardava no estacionamento. Fui o primeiro a chegar na sala e, como estava vazia, decidi voltar e despedir-me de minha namorada. O estacionamento era numa ladeira. Ao chegar no carro, minha namorada não estava lá. Liguei o carro e fui parar num lugar mais próximo a saída.

Ao voltar para fazer a prova, desisti de fazê-la para sair. Encontrei com Onurb do colégio, que ao me ver saindo, escreveu meu nome em sua folha de prova e mostrou-me, como quem dissesse: "Você quebrou tantos galhos para mim e hoje é sua recompensa".
Subway Od Sadness / Kaneda

Caminhava sozinho, de passos curtos e vagarosos. Lentamente observava a rua por onde andava. Estava triste, e de longe facilmente notava-se, embora não pela expressão facial, mas sim pelo modo que o corpo avançava.
Lembro-me de não querer encontrar ninguém. Queria mesmo é estar comigo mesmo, para entender-me, descobrir-me, decifrar-me... Lucidamente ergui Minha cabeça e pude ver uma estação do Metrô. Não queria voltar para casa. Não naquele momento. No perímetro da estação do Metrô avistavasse um restaurante, nada muito portentoso, era apenas bem localizado, embora sentisse uma atração por aquele lugar. Cheguei numa apoteose das quais são raras as chances numa vida.
Horror / Kaneda

Muitas pessoas estavam ensanguentadas. Olhava para todos os cantos desesperadamente, em busca de alguém conhecido, mas não encontrava nenhum rosto familiar se quer. Comecei a correr, ouvia gritos. Ficava a cada instante mais atordoado com o correr e a agonia de entender o que estava a me caçar.
Virei em direção contraria, e meus olhos então reconheceram o assassino, o mais temível dos anos 90: Fred Krueger. Pensei que nunca mais voltaria do reino dos mortos para o nosso...
Escada rolante / Kaneda

Tinha tentado subir numa escada rolante, mas ela estava no sentido inverso e fui repreendido pelo guarda do shopping.
Fim de semestre / Kaneda

Fim de semestreTinha acessado o site da faculdade pra saber as notas do semestre e, em uma das matérias não tinha conseguido atingir a média.
Kids playin' beach soccer / Kaneda

Acordei num apartamento de praia onde estavam vários amigos meus. Minha namorada parecia ter saído, então decidi ir procurá-la. Quando abri a porta o corredor era estreito, e logo de cara topei com Nayrb, que estava muito sorridente e contente. Eu já não podia dizer o mesmo, pois estava com ciúme de minha namorada ter saído sem minha companhia. Entretanto, escondi tal sentimento de Nayrb e segui rumo a saída.
A praia era de tombo, haviam umas crianças jogando futebol de praia. Chutaram a bola perto de onde eu estava na água, mas antes de alguma criança se aventurar nas fortes ondas fui ao encontro da bola. Uma delas veio em minha direção e mudando sua feicao de alegre para raivosa, começou a esbravejar!
Sem pestanejar exigi que não entrasse na água devido ao perigo, enquanto a criança pouco se importou. Um jovem adulto, que parecia ser pai da criança quis tirar satisfações comigo. Começamos a brigar. Eu venci, saí da água e voltei ao apartamento sem encontrar Siaht.
Sk8 / Kaneda

Estava andando de skate ao longo de uma rua e tínhamos que ir a casa de um guri que tinha roubado alguém. Chegamos numa subida longa onde podíamos descer de skate muito rápido, mas desisti porque já estava cansado. Ao chegar na casa do ladrão fui logo pegando o skate e dando vários golpes com o shape do skate até matar o guri.
Landslide / Kaneda

Estávamos no terraço de casa, Erdna, mais uma pessoa que não me recordo e eu. Quando o chão começou a ruir, uma cratera se abriu ao chão! Corri para as escadas, mas logo depois o chão desabou onde estava. Segurei o Erdna pela minha mão esquerda enquanto com a mão direita me mantinha preso a escada. Mandei ele subir e percebia que tinha uma força maior do que o que possuo na realidade. Consegui fazê-lo subir até um lugar seguro. Não sei a razão, mas o Hcire estava indo visitar-me em casa com a nova namorada...
Sorriso de primavera / Kaneda

Siaht estava sentada na sala, sobre uma poltrona antiga e confortável. Embora portasse seus braços como de um mafioso poderoso, sua posição era descontraída e seu semblante era tão acalentador como quando a primavera abraça a última noite de inverno.
Suas pernas entrelaçadas balançavam demonstrando indiferença, enquanto meus olhos a fitavam da cabeça aos pés. Encantador aos olhos e cativante para o coração. Ah, quanta ternura flambava por entre seus olhares e sorrisos trocados entre nós.
Sua camiseta reverenciava um time de origem italiana, mas o patrocínio era irreconhecível para mim. Pouco importava no fim das contas. Estava hipnotizado pela inocência de Siaht enquanto murmurávamos palavras que só conseguia entender porque as identificava pelos movimentos lidos em seus lábios.
Sabia entretanto que era um daqueles 'momentos inesquecíveis' que duram apenas alguns segundos, mas que são suficientementes precisos para permanecer por mais de uma vida. Fechei os olhos por um momento, para tentar retornar, mas já tinha o sonho desfalecido.
Ice cubs / Kaneda

Cin aparecia com uma bandeja de cubos de
gelos rosados e entregava-os para mim. Não havia nenhum drink ou bebida próxima a mim. Queria que apreciasse somente a cor dos cubos e da perfeição de como foram feitos, mas mesmo assim não havia troca de sorrisos. Era tão fria Cin quanto os gelos que me trazia.
Lunch / Kaneda

Aibul estava em casa para almoçar comigo. Achava sua beleza estonteante e tinha a certeza de que estávamos a ficar juntos. Muitos flertes aconteciam ao mesmo tempo em que a necessidade de beijá-la crescia, mas sabia que ela também queria. Parecíamos tão próximos de alma que a atração física era o menos importante naquele momento. Passei a mão suavemente em seu braço direito, senti a maciez de sua pele, enquanto dentro de mim um sentimento de posse aflorava como as flores na primavera. Ela sorriu para mim. Oicram apareceu, logo após. O receio de um de meus amigos sentir ciúmes de mim me bloqueou por completo. Não queria perder a amizade dele novamente.
Waves / Kaneda

Estava em direção a uma praia, parecido com São Francisco do Sul em SC. Foi uma trilha difícil, mesmo com porte de um carro off-road para estradas daquele tipo. O mar tranquilo e quando chegamos (não me lembro quem estava junto), o mar se agitou. Era uma praia de tombo, não se podia nadar. Até que as ondas quebravam bem alto e começaram a puxar o carro, devido tamanha violência da natureza. As ondas encobriram algumas pessoas.
red ships, sis and my love / Kaneda

In my bedroom with y. after saved her from a bad day, we talked about the day. we talked about what happen. Life. Things. Thinks. It seems like everyday that we spent together was a single day. Every single day has seems to a different end, its complicated to explain. its seems like we had our time, but theres much more to live with her. i felt that we were in love with each other. that 'forever after' love. and i kissed her. i could felt my tremble lips touching her face. i could felt her breath under my skin. all those things that we could'nt let go... the butterflies that flew at the stomach were so small near this feeling. and i know that she felt at the same way.
we layed down on my bed, and i touched her hair. the most beautifull and soft hair that a boy could wish to have amoung his fingers.
When i recognize that she was everything i wanted for my whole life, there was anything in this whole world that should be this perfect. life is curious, and can make us see what really matters to us by different ways.
theres so hard to write about a dream that was more bout feel than do something.
we made love. and its still good. perfect. and i want her so. much more of her in my real life too.
red ships, sis and my love / Kaneda

red ships, sis and my loveIn my bedroom with y. after saved her from a bad day, we talked about the day. we talked about what happen. Life. Things. Thinks. It seems like everyday that we spent together was a single day. Every single day has seems to a different end, its complicated to explain. its seems like we had our time, but theres much more to live with her. i felt that we were in love with each other. that 'forever after' love. and i kissed her. i could felt my tremble lips touching her face. i could felt her breath under my skin. all those things that we could'nt let go... the butterflies that flew at the stomach were so small near this feeling. and i know that she felt at the same way.
we layed down on my bed, and i touched her hair. the most beautifull and soft hair that a boy could wish to have amoung his fingers.
When i recognize that she was everything i wanted for my whole life, there was anything in this whole world that should be this perfect. life is curious, and can make us see what really matters to us by different ways.
theres so hard to write about a dream that was more bout feel than do something.
we made love. and its still good. perfect. and i want her so. much more of her in my real life too.
coke / kaneda

Mamãe chacoalhava a garrafa de coke frenéticamente e dizia que era pra retirar o gás. Eu dizia a ela que era uma chata e que ninguém iria tomar coke sem gás. Era xarope praticamente. Fiquei com raiva, peguei uma outra garrafa.
Acordei com vontade de coke.
motorcycle / kaneda

Estava pilotando uma moto sem capacete. Parei em frente em casa e acabei por me precaver de que era melhor parar a moto antes que algum policial me parasse.
Mas não, me veio uma vontade diferente. Quis ir pra praia sem capacete.

Comecei a minha viagem, o vento gelado batia nos olhos que lacrimejavam. a serra que não acabava. acelerava demais...
Acordei enquanto olhava pro mar.
Vitória - Espírito Santo ES - Brazil / Kaneda

Vitória - Espírito Santo ES - BrazilDe um elevador fui teleportado para outro.

O problema real, é que fui de São Paulo para outro estado. Apareci no Espírito Santo, em Vitória.

Encontrei com a senhorita Tristao, no elevador. Ela me fitou, trazia um violão nos braços, dizia que era para um de seus amigos e que ela morava naquele prédio. Nos olhamos surpresos e descemos para o Hall.

O Hall tinha várias mesinhas de madeira, parecia um bar bem antigo, mas muito bem decorado. Era um ambiente sadio, descontraído. Me sentia bem ao estar ali, compartilhando daquele momento, mas acho que fiquei mais feliz ao ver que estava em Vitória.

Vi um grupo de amigos numa mesa, logo a senhorita Tristao, virou senhora. Sentou-se numa mesa e começou a beijar um rapaz desconhecido. Não quis me enturmar, sentei numa mesa próxima. Começaram a música.

Olhei para o balcão, para a mesa de amigos e ambos olharam para mim com o violão, começaram a tocar violão. Eu comecei também, ecoava pela sala toda. Tinha medo de errar um acorde.

De repente, parei de tocar, larguei o violão e decidi ir atrás de N*.

Sai pela porta, me deparei com uma descida de rua. Um ponto de ônibus. Olhava pelos cantos, tentando encontrá-la.



Não entendi a sacada.

Acho que foi por saudades.



Cigana ? (José Arcadio Buendia?) / Kaneda

Encontrei com a minha irmã em uma casa de madeira com vidros ao invés de paredes. A garagem era extensa e a casa deveras refinada. De mochilas, fui desci o caminho da garagem enquanto conversava com minha irmã. Falei sobre o atual namorado dela e o que eu realmente achava do carácter dele (o que não é nada bom), mas que eu não iria me impor contra os desejos dela. Num relance, ao olhar para os vidros, foi quando avistei a CB. Ela vinha em direção à casa. Não era uma casa, era um centro de recreação de alguma coisa.

Não entendi direito, ficou meio confuso esse lugar.

Enfim. Cumprimentei-a, fiquei surpreso com a aparição daquela menina que havia causado tanto alvoroço e talvez perda de amizades em minha vida.



Fomos andando em direção a um ponto de ônibus. Conversando sobre coisas frívolas. Sem empolgação. Sem amizade. Sem sentimento. Bate papo frio.

Quando chegamos ao ponto, ela encontrou um amigo, do qual não deixei de reparar, era um bocado acima do peso. Começaram a conversar.

Assim que acendi um cigarro, uma mulher (pensei ser uma brincadeira de algum amigo)(mulher, a qual notei depois), se encostou de costas com as minhas costas, de modo sensual. Achei esquisito, fiquei surpreso, depois senti tesão. Olhei para ver quem era, ninguém conhecida. Era uma cigana.

Moça jovem, bonita, mas mal tratada. Cabelos soltos e longos, escuros. Dançava e me chamava.

Até que uma amiga a chamou e a desencostou de mim.



Foi uma experiência extravagante. Acordei curioso com a cigana e por ter lembrado do sonho 1 hora depois de acordar.
Pulguetes / Kaneda

Estava eu tranquilo, sentado em minha cama.

Meu cachorro não tinha tosado seus pêlos, sentou-se ao meu lado.

Percebi que ele se coçava, muito. Comecei a procurar pulgas e vi várias entre seus pêlos. Matei uma entre minhas unhas, comecei a procurar outras e outras. Não acabavam.
Monster Girl / Kaneda

Monster GirlSonhei que namorava com X. Estávamos curtindo o namoro e tudo. Um dia Y chegou em casa e nos levou à praia, chegando lá o lugar para dormir era pequeno, nos acomodamos. Eu fiquei nu, e X tirou a roupa comigo. Ficamos nos acariciando um ao outro, passava levemente a mão entre suas madeixas louras, ela me abraçara... Y então, chegou nu também... Achei estranho, fiquei raivoso, não entendi o que Y queria ao ver minha namorada nua. Quis socá-lo, mas o deixei. Todos ficamos nus, um ao lado do outro, e então, deitamos. A sensação de incomodo estava comigo todo o tempo enquanto tentava cobrir X da visão de Y. Intimamente estava super desconfortável.
Going Under / Kaneda

Going UnderEstava num lugar onde a paisagem era rústica. Era como um sítio de interior. Quando saí da casa onde estava, percebi que haviam cercas em volta do terreno todo, avistei alguns bois e vacas que estavam pastando, uma árvore verde bem alta e que era notória ao longínquo.
Stalker / Kaneda

Entrava em uma casa desconhecida, era toda branca, ouvi umas vozes no andar de baixo, mas nada que me impedisse de entrar em um dos quartos daquela imensa casa. Era uma mansão, vários andares, muito bem decorada e aconchegante demais. A dona/dono com certeza teria investido milhões naquele imóvel. Um dos rapazes apareceu e me disse para ir até o banheiro.

Próximo ao banheiro escuto um barulho por mim já reconhecível de que alguém estava a tomar banho. Olhei a silhueta da pessoa e era uma mulher muito formosa, seios firmes, magra, cabelos compridos, corpo escultural... Se lavava com delicadeza. Quando me dou por conta, ela abre o box do banheiro e eu a reconheço. Uma apresentadora de tevê. E.M.B.; Ela puxou-me para dentro debaixo do chuveiro e começou a tirar a minha roupa frenéticamente. Começamos a transar no banho, ela me agarrava com muita vontade, desejo, fogo de paixão... E eu retribuia com meus beijos, agarradas, puxões em seu cabelo, ... Após chegarmos no ápice um dos seguranças me agarrou e jogou-me com todas as forças para a grade. Eu parecia ter mais força que o comum, tinha habilidades que ainda não havia percebido. Com minha força, arranquei o portão e joguei-o nos seguranças aproveitando para fugir da casa.
The Strange Store / Kaneda

The Strange StoreApareci numa loja de objetos antigos, quem era responsável era uma japonesa que não tinha rosto familiar e me parecia ter idade durante transição de adulta para idosa.

Eu era uma espécie de ajudante de Papai Noel, tinha o poder de dar um presente que as pessoas tinham desejado de coração. Aquela senhora japonesa, todos os anos eu a visitava. Era só mais um ano de presenteio a ela, pois tinha recordações dela ser muito boa de coração para os outros. E, mesmo ganhando todos os anos e tendo a loja, nunca deixara de ser boa pessoa.

Eu só a visitava pouco, nem mesmo recordava-se da minha feição, me tratava como qualquer e, por isso, julgava ainda melhor o seu bom coração. Ela mantinha uma expressão de tristeza porque talvez não conseguiria o que queria. Mas eu estava disposto a ajudá-la.

Ela me mostrou dois peixes e dois espécimes que não reconheci dentro de uma sacola.

Os peixes estavam vivos, ela havia ganhado de algum amigo. Os outros dois espécimes começaram a se debater e sairam da sacola. Quando me dei conta, eles pularam e começaram a se transformar em centopéias no chão. Olhei para os lados e quando me dei conta não eram mais centopéias, eram formigas pequenas mas com as cabeças do tamanho de uma bola de gude, com seus corpos totalmente desproporcionais à cabeça.

Uma das formigas, furiosamente, me atacou.
Shots! / Kaneda

Estava num acampamento com muitas pessoas que desconhecia, havia uma menina que era muito linda e ficava me dando bola. Fomos para uma atividade de tiro com armas, um paintball. Estávamos em times diferentes, a menina e eu. Nos juntamos e comecei a passar sutilmente a mão na bunda da menina. Era uma bunda perfeita de mulher com traços firmes e o toque que eu dava era excitante. Ela acabou gostando, mas no separamos.

Fui ao banheiro e ele era enorme e todo sujo. Professor Pasquale, estava numa das banheiras cheias de fezes.

Não suportei o cheiro e sai a procura da menina morena, mas não a encontrei mais.
Girl Who Leapt Trough The Dreams / Kaneda

Girl Who Leapt Trough The DreamsEstava a dormir e a Yna me ligou ao celular, descobri que era ela porque a mesma foto que ela usa no twitter estava ali no meu celular com o número embaixo e a descrição de chamada. Achei super estranho porque ela nem sabia da minha vida, mas no sonho ela tinha meu celular!!!

Eu atendi e conversamos sobre ir ao cinema, contemplar alguma coisa piegas, que era a cara dela, hahaha! A felicidade era tanta dela ter me ligado que acabei por pedir pra ela me ligar mais uma vez depois porque eu queria voltar a dormir... Achei que era um sonho. (e o era).

Desliguei o celular e dei um sorriso sozinho, daqueles que a gente pensa "estranho mais divertido"... Coisas da vida.
Biker / Kaneda

BikerAndando de bicicleta por uma estrada de barro sabia que tinha que chegar até o final dela, passei correndo, por estar sozinho na estrada sozinho sentia medo. Passei por uma criança bem pobre levando uma sacola, que não sabia o que tinha dentro.

A estrada tinha um rio do lado, passei por ele quase todo. Quando cheguei ao final sabia o lado que tinha que virar e entrei num beco. Ao levantar a cabeça vi vários meninos drogados que pareciam trombadinhas, dei meia volta antes que eles percebessem da minha aparição por lá e voltei pela estrada toda.
Ticket / Kaneda

Precisava usar o carro e olhei um ticket em cima da mesa. No ticket estava escrito: "Arobed irá usar o carro hoje." Logo, fui perguntar a minha irmã se ela iria usar o carro para sair, porque eu precisava usar o carro urgentemente, mas ela já havia saído.
chocoreto / Kaneda

Tinha ido a uma bomboniere, um homem ao balcão veio me atender e eu disse que queria os bombons que eram de embalagens azuis. Eram para presente, mas senti necessidade de comprar um estoque de chocolates. Pedi um tipo de cada, e coloquei dentro de um saco de papel pardo. Mas saí antes que pudesse pagar.
Seios / Kaneda

Estava encostado ao sofá, e Aleir estava deita com seu corpo estirado sob o meu... Ela estava sem a parte de cima da roupa, sem sutiã e sem blusa. Eu ficava admirando o seu rosto calmo e tranquilo enquanto ela dormia em meus braços, até que ela se virou de lado olhou para o meu rosto e sorriu docemente. Como se estivesse very proud de ter-me ao lado dela...



Ela pegou minhas mãos e as fez tocar os seios dela... mas logo retirei-as de lá e fiz carícias em seus cabelos. Meus olhos admiravam seus mamilos roseados e sentia vontade de rancar-lhe o resto da roupa e excitá-la, mas sentia que aquele momento era pra ser de calmaria.
Brigadeiro / Kaneda

Estava na cozinha preparando brigadeiro só que numa panela hiper pequena. Nem tinha acabado de fazer e resolvi pegar o granulado. Foi quando abri o granulado e percebi que era demais.
Bees @home! / Kaneda

Estava em casa e o ambiente estava cercado de abelhas, eu tinha medo de ir onde haviam muitas voando, mas onde haviam três ou quatro eu tinha que arriscar passar. Foi então que uma delas grudou no meu braço, eu tentei bater pra tirá-la e consegui, mas na segunda não teve jeito. Ela passou não picando, mas rasgando meu braço como uma agulha de tatuagem.
Crash! / Kaneda

Minha mãe dirigia o carro e eu estava de passageiro, estávamos passando pela marginal tietê quando percebi uma moto em alta velocidade, quando dei por mim a moto havia batido atrás do nosso carro.
Gas / Kaneda

Fiquei em casa, estava sozinho. Resolvi cozinhar algo para comer, mas esqueci o gás de cozinha aberto. O gás esvaziou pelo fogão e comecei a sentir o cheiro até desmaiar.
Passion / Kaneda

Sentado no sofá da casa de Onib estavam todos os meus melhores amigos! Tchubaruba, logo sonhei. Encontro feliz. De repente fomos todos a casa de Olem, e quem se quer dá as caras por lá? Ela mesmo. A própria. A que me faz ter borboletas na barriga. E mais que surpreso ela senta-se ao meu lado e começamos a conversar e depois a beijo com carinho. Todos os meus amigos estavam felizes e me viram ao lado dela...
Copo! / Kaneda

Ia de encontro a algum salão antigo. Parecia bem antigo, deslumbrante e tinha muitos raios de luz penetrando nele. Bem na minha frente passou um guri que trazia um copo na mão, ele tropeçou e começou a chorar, foi então que a mãe chegou e parecia que tinha sido culpa minha.
Girls Wanna Have Fun! / Kaneda

Erd, Ord e eu fomos a uma danceteria porque estávamos cansados de ficar em casa inertes em plê no feriado prolongado. Chegando na festa começamos a dançar incessantemente todas as músicas que tocavam. O ambiente tinha uma sensação de animação e todos que passavam por lá riam sem motivo aparente e começavam a olhar para todas as luzes brilhantes do teto. As paredes tinham uma tintura vermelha bem viva. Foi quando Ord olhou para uma menina linda de cabelos dourados e lisos que iam até os ombros, tinha uma afeição suave e ao mesmo tempo aparentava ter uma ponta sadista.

A menina dos cabelos dourados veio em nossa direção junto com as amigas e começaram a dançar junto conosco. Elas dançavam de um jeito ardente e sensual, indo para baixo levantando somente uma das mãos e com o indicador de pé e, em seguida, subiam esfregando a outra mão por todo o nosso corpo. Mordiam os lábios entre os dentes e começavam a nos seduzir sexualmente. Eu agarrei a menina dos cabelos dourados pela cintura e começamos a nos beijar intensamente, mordendo seus lábios e passando as mãos em seus cabelos e em seu corpo.
sex drugs and rock & roll / Kaneda

Estou na minha cama agradável, dormindo. Quando # veio e se aproximou de mim... Nos beijávamos calorosamente, com abraços fortes, mãos e braços percorrendo ambos os corpos. Foi então que # tirou a roupa e eu também tirei a minha, fizemos amor e então # começou a fazer sexo oral para mim...
My Car Own With Pay She Free Too / Kaneda

Roubavam o meu carro depois de minha mãe tê-lo deixado em frente a casa vizinha. Sentimento ruim.
Supermarket! / Kaneda

Supermarket!O mercado era antigo e os carrinhos enferrujados! O objetivo era juntar os produtos que o Game Master pedia. Coloquei um pote de azeitonas de um metro e meio de altura. O carrinho já estava cheio, e cada filho tinha que ajudar sua respectiva mãe. O problema é que eu tinha duas mães no mesmo mercado.
Corrida no Parque / Kaneda

Comecei a correr feito doido.

Estava em uma estrada de terra, a luz parecida com fim de tarde e eu corria disparado sem saber pra onde, só que precisava correr.

E corri feito doido.

Descobri que eu corria mas sempre estava mais devagar do que quem estava a andar a meu lado, era como se eu estivesse em câmera lenta, ou então, que eu estava tão rápido que conseguia ir devagar a ponto de ver as pessoas andando. Quanto mais balançava os braços, mais velocidade eu tinha.

Corri e passei por umas três pessoas, até que encontrei com Takao que ia na mesma direção que eu só que mais rápido. Chegamos então a um parque infantil, passamos por mais um casal que nos assistiam espantados, haviam grades de aço que passamos desviando uma a uma com uma habilidade além do normal.

O último obstáculo era uma espécie de tubo que tinha uma tampa de grade de aço, onde eu passei e tomei cuidaddo para não bater a cabeça.
Morte / Kaneda

Estava andando pela rua quando encontrei com Nelson Rodrigues. Começamos a debater um assunto sobre o trabalho até que ele discordou e começou a tentar me matar.
Snakes! / Kaneda

Estava numa rua estreita no estilo dos bairros de interior franceses, com ruas de paralelepípedos e casas bem decoradas.

A rua acabava num corredor de prédio. Numa das portas estava um adestrador de cobras. As cobras começaram a sair do apartamento do adestrador em minha direção.

Uma amarela que eu deixei para trás e outra verde que veio para me picar e em seguida eu me defendia com um pedaço de papelão. Ela veio me perseguindo até que eu subisse em uma cadeira amedrontado.

Logo a frente havia um carro estacionado e um senhor tragando um charuto sentado num daqueles bancos antigos de madeira que não me ajudava.
Abelha / Kaneda

Na mesma noite do sonho de casa de praia sonhei que estava no quarto de minha namorada (?!) e o quarto dela tinha um data show com um telão. Era todo com piso de madeira e ficava como se fosse um mezanino. Ela tinha aqueles globos refletores de casas noturnas e de repente fomos atacados por uma abelha e logo em seguida por outra.
Casa de Praia / Kaneda

Casa de PraiaNuma casa de praia briguei com um rapaz que tinha dado em cima de minha namorada (?!) Fui buscar uma delegacia para prestar queixa porque tínhamos brigado e eu havia socado ele até ter que interná-lo. No caminho da estrada que levava para praia, não tinha ninguém. No final dela havia dois caminhos a seguir, encontrei um louco que foi pego pela médica do hospício logo após termos nos encontrado. A médica tinha o caminho da delegacia tatuado na mão direita e me mostrou como chegar.

No caminho para delegacia encontrei um tira do tipo missão impossível, ele tinha invadido uma casa com uma parceira. Pareciam espiões e ele se matou para que ela se livra-se.
Assassinato / Kaneda

I have found the guys that stoled my sister‘s car, and I tried to kill then with a knife. After a few hits I looked at his throat and there was no blood... He was indestructible! And he killed me.
Fired! / Kaneda

Era um anfiteatro e todos os companheiros de trabalho estavam lá, aparentemente o meu coordenador teria chamado todos ali para uma palestra da qual eu não estava ciente. Encontrei com Flávia na escada do prédio, que era grande e espaçosa feito a de um concerto de música clássica, e conversamos sobre a palestra, perguntei quem estava participando e logo depois fui convidado por ela para ir a uma sala onde todos estariam.

Meu chefe então passou uma folha onde existiam os nomes de todos os funcionários e do lado se iriam ficar ou não... A sala era pequena e todos estavam mal acomodados e fui o segundo a pegar a folha, porém o único que estava com uma frase em letras vermelhas "Não aceito". Quando perguntei ao Coordenador o que havia acontecido, ele informou que o meu desempenho não tinha sido satisfatório e que o gerente não aprovou a minha estadia na empresa. Entrei em prantos e implorei para ficar, mas mesmo assim o coordenador não alterou o seu semblante.

Fui demitido.
Aconchegante / Kaneda

Estava numa casa em que tudo era proporcionalmente maior do que o comum. Escadas e quartos enormes salientavam um quarto a minha frente.

Num momento eu era apenas um desconhecido e em outro já fazia amizade com duas garotas lindas.

Eu gostava das duas, mas tinha que escolher somente uma delas para ficar junto, pois as duas eram amigas. Acabei decidindo com qual delas ficar pela cor do cabelo e dos olhos.



Fiquei com a loira de olhos claros. Não tinha um nome, era muito agradável de ficar ao lado dela. Beijei-a e senti um frio congelante na barriga, como se fosse o primeiro beijo. As mãos suando sem saber onde segurar misturado com a sensação singular de estarmos ela e eu numa beliche que chegava ao teto. Ela e eu. Suspendidos bem no alto.



Teríamos que entrar para a festa.

Nos despedimos e descemos pela escada da beliche.
Have fun / Kaneda

Have funEstávamos meus três melhores amigos e eu em uma casa enorme da qual ao invés de escadas, tínhamos uma rampa por onde escorria a água e nós descíamos escorregando até um quintal que era enorme, mas na verdade era um buraco gigante repleto de água, não como uma piscina, cavado e azuleijado, era um quintal cheio de água onde nadávamos.

Cheguei a subir a rampa até que dei de cara com uma vizinha e percebi que os cômodos eram velhos a estrutura em um quarto acima era bem antiga, no meio dessa sala apodrecida havia uma escada bem ao meio, cheia de baratas mortas grudadas e com uma lâmpada bem acima dela. A sala possuía estrutura de madeira e era muito mal conservada, era de difícil acesso e quando saí de lá fechei a sala com duas tábuas para que ninguém chegasse a pisar nos pregos e se assustar com a sujeira.

Lembro-me de ter achado a vizinha chateada e ao mesmo tempo me alertando sobre esta sala e me pedindo ajuda para encontrar-lhe algo.

Meus amigos se divertiam enquanto veio uma menina e eu dizia para a menina se afastar das baratas da escada.
Kitchen Chiken(?!) / Kaneda

Estávamos saindo do trabalho quando a convidei para irmos em casa. Chegamos muito rápido e não havia ninguém a nos recepcionar em casa, então a levei a cozinha para oferecer-lhe algo agradável. Foi quando eu comecei a beijá-la e a tirar-lhe toda a roupa enquanto ela fazia o mesmo comigo.

Levantei suas duas pernas na mesa da cozinha, deixando-a sentadinha e começamos a transar. Passava a língua em seus seios enquanto transávamos.

Ela parecia mais entretida do que eu, enquanto eu só procurava chegar ao orgasmo ela se sentia completamente satisfeita.

Ainda bem que foi sonho...
Discussão / Kaneda

DiscussãoEstava em casa quando comecei a discutir com Karen sobre o relacionamento. Brigávamos muito, e então eu disse que não gostava mais dela e que seria melhor nos afastarmos. Mandei-a para casa e ela chorou enquanto saia pelo portão.
Glasnost / kaneda

Estávamos no meu quarto, apaguei as luzes para que ela ficasse mais à vontade. Fechei as janelas, mas ela pensou que estava a fazer aquilo somente para transarmos... Demos muitas risadas, nos abraçamos e dormimos somente, um ao lado do outro.